conecte-se conosco

unopar

Carros e Motos

Novo Chevrolet Tracker tem preços, versões e equipamentos revelados

Publicados

em


source
Chevrolet arrow-options
Divulgação

Chevrolet Tracker 2021: SUV de nova geração chegará para ser o mais vendido da marca no segmento

A Chevrolet antecipou todos os detalhes do novo Tracker no Brasil, incluindo os preços de cada uma das versões. Embora o lançamento oficial esteja previsto para acontecer entre as próximas quarta (18) e quinta-feira (19), o próprio site já traz informações completas sobre o SUV compacto, incluindo preços, versões e fichas técnicas. O Chevrolet Tracker será oferecido em cinco versões, mais a PCD. Enquanto esta sairá por R$ 70 mil, as outras vão de R$ 82.000 até R$ 112.000.

LEIA MAIS: Veja os 5 principais lançamentos do primeiro semestre

Todas as versões do Chevrolet Tracker têm 6 airbags, controle eletrônico de estabilidade e tração, faróis com projetores, regulagem de altura dos faróis, luzes diurnas de LEDs, rodas de liga leve, assistente de partida em rampas, ar-condicionado, computador de bordo, limitador de velocidade, direção elétrica e sensores de estacionamento traseiros. Ainda de série, vem com central multimídia com tela de 8 polegadas, Android Auto e Apple CarPlay, e sistema de WiFi.

Apesar de agora ser feito a partir do Onix (o modelo antigo era baseado no Cruze), o Tracker cresceu. Ele passa a ter 4,27 metros de comprimento, 2,04 m de largura, 1,63 m de altura e 2,57 m de entre-eixos. Ou seja, está 10 centímetros maior no comprimento, 1 cm mais largo e 1,5 cm maior no entre-eixos. O porta-malas subiu para 393 litros (antes, tinha 306). Apesar disso, fica 5 cm mais baixo.

Leia Também:  Bicicletas elétricas surgem como alternativa ao transporte público lotado

LEIA MAIS: Chevrolet Equinox Premier 1.5: mais afiado contra os rivais

O SUV terá duas opções de motor: 1.0 e 1.2, ambos flex, de 3 cilindros e equipados com turbocompressor. O primeiro é exatamente o mesmo que estreou no novo Onix , um 1.0 turbo com 116 cv e até 16,8 kgfm. O câmbio pode ser manual (na versão de entrada) ou automático, sempre com 6 marchas. O 1.2 turbo, que equipa as versões mais caras, é inédito. Ele gera um total de 133 cv e 21,4 kgfm quando abastecido com etanol, e será combinado sempre ao câmbio automático de 6 marchas.

Equipamentos nas versões

Chevrolet arrow-options
Divulgação

SUV chega com os equipamentos de última geração da marca, muitos já presentes no novo Onix

A versão LT com motor 1.0 é a primeira que adiciona acabamento preto nas colunas, grade frontal cromada, maçanetas externas na cor do veículo, rack de teto prata, câmera de ré, chave presencial, piloto automático, retrovisores elétricos, sistema stop/start e câmbio automático. A configuração 1.2 turbo tem o mesmo pacote da versão de entrada, a 1.0 turbo, adicionando apenas o motor 1.2, a transmissão automática e o stop/start.

Leia Também:  Veja cinco motos elétricas entre R$ 9 mil e R$ 20 mil à venda no Brasil

Na 1.2 turbo LTZ, o pacote acrescenta alerta de pontos cegos, rodas de 17 polegadas, acendimento automático dos faróis, sensor de chuva e bancos com revestimento “híbrido”. A topo de linha, 1.2 turbo Premier, por sua vez, inclui ainda alerta de colisão frontal com medidor de distância do veículo à frente, frenagem automática de emergência, faróis full LED, teto solar panorâmico e sistema de monitoramento de pressão dos pneus ao novo Tracker .

LEIA MAIS: Fábrica da GM celebra produção de 4 milhões de carros e revela Onix laranja

Ainda quanto a esta última, vem também com carregador sem fio para smartphones, ar-condicionado digital, retrovisor interno eletrocrômico, sistema de estacionamento automático, sensores de estacionamento dianteiros, traseiros e laterais, e tela central colorida no quadro de instrumentos. Ela se diferencia ante as demais versões do Chevrolet Tracker por cromados nas janelas e nas maçanetas (externas e internas), detalhes em prata nos para-choques e rodas de 17 polegadas com acabamento diamantado.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Carros e Motos

Governo libera rodar com CNH vencida por conta do coronavírus

Medida visa evitar aglomerações em locais públicos, como Detrans

Publicados

em

A isenção é válida para todas as carteiras de motorista que deixaram de ser válidas no dia 19 de fevereiro deste ano Foto: Divulgação/PRF

O governo permitiu a condução de veículos com a CNH vencida em todo território nacional. A isenção é válida para todas as carteiras de motorista que deixaram de ser válidas no dia 19 de fevereiro deste ano. A informação é da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

A medida visa evitar aglomerações em locais públicos, como Detrans, durante a pandemia do novo coronavírus no Brasil. Normalmente quem está com a CNH vencida só pode circular até 30 dias após a validade do documento.

Por conta disso, o tempo máximo para renovação da CNH subiu de 12 para 18 meses. Outros serviços normalmente feitos nos órgãos públicos também estão suspensos, como identificação de condutor em multas (incluindo as já emitidas), recursos para multas e de suspensão/cassação de habilitação.

Quem já teve a CNH cassada ou suspensa antes disso, porém, segue sem ter o direito de dirigir veículos, pois o documento permanecerá sem validade.

A decisão foi publicada no Diário Oficial da União e tem efeito imediato.

Fonte portal A Rede

 

 

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  BMW S 1000 RR chega com novas tecnologias, visual renovado e mais desempenho
Continue lendo

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA

Aviso importante: A reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash, etc) do portal não é permitida e, caso se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismos de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria para reproduzir nosso conteúdo, entre em contato por e-mail. Copyright © 2020