conecte-se conosco


ESCLARECIMENTO

IFPR emite nota sobre demora na entrega de certificados a alunos de Wenceslau Braz

Publicados

em

Foto: Reprodução/Internet Google Maps

Estudantes que realizaram a colação de grau em novembro do ano passado ainda não receberam seus diplomas

 

Após a Folha Extra publicar uma matéria na semana passada mostrando a insatisfação dos alunos que realizaram os cursos técnicos do IFPR (Instituto Federal do Paraná) em Wenceslau Braz devido à demora na entrega dos diplomas, a instituição entrou em contato com a reportagem para prestar esclarecimentos sobre a situação.

Vale ressaltar que, na ocasião, o jornal entrou em contato com o setor responsável pelos cursos junto à prefeitura de Wenceslau Braz, a qual atrelou o atraso na entrega dos certificados ao próprio Instituto. Ainda na ocasião, também foi buscado contato junto aos responsáveis pela situação no IFPR, mas sem sucesso devido as equipes estarem realizando apenas trabalho remoto.

Já na tarde desta segunda-feira (29), a reportagem foi contatada pela equipe do IFPR que encaminhou uma nota para esclarecer a situação. Segundo o instituto, o principal motivo atrelado ao atraso na entrega dos diplomas é devido aos efeitos provenientes da pandemia da Covid-19 que ocasionaram mudanças no atendimento presencial e logística da instituição. O IFPR ainda reforça que os estudantes não serão prejudicados em questões de mercado de trabalho, visto que a conclusão do curso pode ser confirmada mesmo sem a posse do diploma. Ainda assim, não houve especificação de uma data para a entrega dos certificados.

Leia Também:  Sem ambulância, mulher em trabalho de parto vai para o hospital em viatura da PM

 

Confira a Nota na Integra:

 

Diante da reportagem veiculada pelo jornal Folha Extra, sobre a insatisfação de estudantes de Wenceslau Braz que realizaram colação de grau no Instituto Federal do Paraná (IFPR) em novembro de 2019 e ainda não receberam os certificados, o Instituto Federal do Paraná vem esclarecer a situação no andamento do processo de emissão e assinatura dos diplomas dos cursos encerrados em 2019.

Inicialmente, é confirmada a informação de que o IFPR tem como prazo para emissão dos diplomas um período de 120 a 180 dias após a colação de grau. Todo o processo de emissão de diploma (impressão, registro e assinaturas) é realizado de forma presencial, além da parte da logística de entrega, pois algumas prefeituras e secretarias de Educação também estão com atividades presenciais suspensas, o que pode ocasionar de o diploma retornar.

Até o presente momento não há legislação para implantação de certificação digital para cursos técnicos subsequentes, como é o caso dos cursos mencionados na reportagem. O Ministério da Educação (MEC) lançou em dezembro de 2019 o primeiro projeto de renovação de diplomas, que é destinado apenas a cursos superiores, e as instituições devem implantar até dezembro de 2021. 

Os diplomas dos cursos técnicos que realizaram colação de grau em novembro de 2019 estão em processo de assinatura na Reitoria, no entanto, como na maioria das instituições, devido à pandemia e à paralisação das atividades presenciais, os servidores do IFPR estão trabalhando desde março de forma remota, de modo que alguns procedimentos tiveram seus prazos prejudicados, como é o caso das assinaturas nos diplomas físicos.

No entanto, é preciso lembrar que nenhum profissional formado nos cursos do Instituto está prejudicado na comprovação desta escolaridade, que pode ser comprovada legalmente mediante a apresentação de declaração de conclusão de curso.

O Instituto Federal do Paraná reafirma seu compromisso na busca de promover a educação profissional e tecnológica, pública, de qualidade, socialmente referenciada, por meio do ensino, pesquisa e extensão, visando à formação de cidadãos críticos, autônomos e empreendedores, comprometidos com a sustentabilidade.  

 

Leia Também:  Paraná tem dia com recorde de novos casos e de mortes pelo coronavírus em 24 horas

Via: Assessoria.

COMENTE ABAIXO:

Cidades

Trinta cidades no PR são afetadas por ciclone que trouxe granizo e ventos de até 120 km/h

Publicados

em

Trinta cidades no PR são afetadas por ciclone que trouxe granizo e ventos de até 120 km/h

Boletim da Defesa Civil registra, até o momento, que 3.127 pessoas foram afetadas

O ciclone extratropical que atingiu a região Sul do País na terça-feira (30) causou estragos ao Paraná, onde as rajadas de vento chegaram a até 120 km/h, com chuvas de granizo em diversas cidades. O último boletim da Coordenadoria Estadual da Defesa Civil, publicado às 9h desta quarta-feira (01), mostra que o temporal atingiu 30 municípios e afetou 3.127 pessoas no Estado.

As equipes do Corpo de Bombeiros e dos núcleos municipais de Defesa Civil continuam fazendo os atendimentos, portanto esses números ainda devem sofrer alterações à medida que as ações de resposta continuarem. O próximo boletim será publicado às 12h.

Pelo menos 1,2 milhão de unidades consumidoras da Copel ficaram sem energia elétrica no Estado, quase dois terços delas em Curitiba, Região Metropolitana e no Litoral.

Rajadas

De acordo com o Simepar, para esta quarta-feira não estão previstas rajadas de vento mais fortes que as de ontem. As chuvas se afastam e as rajadas de vento seguem moderadas, ocasionalmente fortes.

Leia Também:  Ventos do ciclone “bomba” causam prejuízos em Ibaiti

Os ventos podem ser mais fortes pela manhã na região Sul, na Região Metropolita de Curitiba e no Litoral, com rajadas entre 50 km/h e 70 km/h. O ciclone extratropical situa-se sobre o mar na altura do Rio Grande do Sul e do Uruguai.

“Os ventos tendem a diminuir gradualmente à medida que esse ciclone se dirija ao oceano, mas população deve acompanhar as informações meteorológicas e alertas da Defesa Civil, tomando sempre o cuidado de consultar as fontes oficiais”, afirma o tenente Marcos Vidal, da Comunicação Social da Defesa Civil Estadual. Ele também ressalta que as pessoas podem receber os alertas da Defesa Civil mandando uma mensagem de texto pelo celular (SMS) com o CEP de sua residência para o número 40199.

Ocorrências

Segundo o boletim da Defesa Civil, 666 casas foram danificadas e 10 pessoas ficaram feridas, uma em Santa Lúcia e nove em Ubiratã. Até às 9h desta quarta, 84 pessoas permaneciam desalojadas e 12 desabrigadas. Muitas árvores caíram sobre vias e residências, causando vários destelhamentos.

Em Foz do Iguaçu e em Nova Prata do Iguaçu, 100 imóveis foram danificados, afetando 800 e 400 pessoas em cada cidade, respectivamente, sendo que em Nova Prata 40 pessoas estão desalojadas. Também há pessoas desalojadas em General Carneiro (30), Contenda (7), Fazenda Rio Grande (4) e Pinhais (3).

Leia Também:  Em nova onda, Jaguariaíva confirma seis casos e vai a 92 pacientes com Covid-19

Os municípios atingidos até agora são Araucária, Bela Vista da Caroba, Candói, Cascavel, Clevelândia, Contenda, Curitiba, Faxinal, Fazenda Rio Grande, Foz do Iguaçu, General Carneiro, Guarapuava, Laranjeiras do Sul, Mandirituba, Maringá, Matinhos, Missal, Nova Prata do Iguaçu, Palmas, Paranaguá, Pinhais, Pinhão, Piraquara, Quatro Barras, Reserva, Salto do Lontra, Santa Lúcia, São José dos Pinhais, Tibagi e Ubiratã.

Frio

Depois do vendaval, a previsão para esta quarta-feira é de muito frio para o Paraná. Ua forte massa de ar polar ingressa no Sul do Brasil e provoca queda nas temperaturas em todas as regiões do Paraná, mostra o Simepar. Há previsão de formação de geadas ao amanhecer em vários setores do Estado e, mesmo com o sol, as temperaturas não se elevam muito.

Fonte Banda B

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA

Aviso importante: A reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash, etc) do portal não é permitida e, caso se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismos de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria para reproduzir nosso conteúdo, entre em contato por e-mail. Copyright © 2020