conecte-se conosco


EVOLUÇÃO

Presidente destaca trabalhos realizados pela Associação Comercial e Industrial de Siqueira Campos

Publicados

em

Foto: Divulgação

Presidida por Genesis de Jesus Machado, a entidade abriu as portas para várias entidades e conta com o apoio dos comerciantes e de toda a população

 

A Associação Comercial e Industrial de Siqueira Campos – ACISC, é destaque não apenas no município, mas também na região que tem se espelhado nos programas desenvolvidos pela entidade.

Presidida pelo jornalista e empresário no ramo de comunicação Genesis Jesus Machado, a ACISC conta atualmente com mais de 100 associados.

A jornalista Regiane Romão entrevistou o presidente da entidade para divulgar ainda mais o trabalho desenvolvido pela ACISC.


 

Regiane Romão – Quando a Associação Comercial e Industrial de Siqueira Campos foi fundada e quando você assumiu a presidência?

Genesis Machado – A ACISC foi fundada em 07 de maio de 1981 e eu assumi a cadeira da presidência em 20 de abril de 2017.

RR – Teve eleição? Como você, Genesis Machado, chegou à presidência?

GM – Não teve eleição, montamos uma chapa e não teve concorrentes, e se tivesse mais chapas eu não participaria, teria aberto mão, porque a minha intenção sempre foi somar e uma eleição dividiria os associados.

RR – Como é desenvolvido o trabalho frente à presidência? Qual o seu papel na ACISC?

GM – Quando assumi a presidência fiz todo o trabalho de reestruturação, a minha prioridade era enxugar os gastos. Cortei muitas despesas para colocar as finanças em dia e deu certo. Diante disso juntamente com a diretoria e os funcionários conseguimos realizar promoções e isso trouxe mais credibilidade para a entidade e com isso novos associados chegaram. Quando assumi tínhamos em média 60 associados, atualmente já passamos de 100.

RR – Quais são os propósitos da ACISC?

GM – Os propósitos da entidade sempre foram o de alavancar o comércio e a indústria. Damos assessoria em várias áreas e também fazemos prestação de serviços. Mas vamos além disso, nós abrimos espaço para outras entidades se estabelecerem na ACISC, como a “Criança fora das ruas”, onde nasceu o projeto Polícia Mirim. Na minha opinião, quanto mais se trabalha para a formação das crianças e dos jovens melhores eles ficarão quando tiverem que ingressar no mercado de trabalho e essa formação também ajuda a livrar as crianças e adolescentes da criminalidade. A ACISC também foi berço da Associação Esportiva Siqueirense e também para o Conselho da Comunidade.

Leia Também:  Colisão entre carro e moto deixa motociclista ferido na BR-369

RR– Qual o papel da ACISC nesses projetos?

GM – A ACISC sede o espaço (local) para a realização dos projetos. Tem pessoas muito capacitadas frente a esse trabalho. Lembrando que devido à pandemia os projetos foram paralisados. Eu fui o primeiro presidente da Associação Crianças fora das ruas, e no Conselho da Comunidade sou o vice-presidente, esse é um trabalho complexo e que envolve muitas pessoas e os resultados são mais lentos, mas é um trabalho necessário.

RR– Qual o posicionamento da ACISC em relação a pandemia gerada pela COVID-19?

GM – Tivemos uma paralisação de 30 dias no comércio e também em alguns serviços considerados não essenciais, as indústrias ficaram paradas 15 dias. Isso trouxe prejuízos enormes, tem setor que vai demorar mais de dois anos para se recuperar, alguns não aguentaram e tiveram que fechar as portas, quebraram mesmo. A ACISC foi fundamental na retomada das atividades empresariais em Siqueira Campos, trabalhamos pesado junto com as autoridades sanitárias, com a prefeitura e com o Comitê do Enfrentamento da COVID-19. Foram dias intermináveis onde tínhamos de quatro a cinco reuniões por dia até que pudemos reabrir o comércio e seguir com as atividades.

RR – O aumento de casos da COVID-19 em Siqueira Campos se deu devido à reabertura do comércio e a volta das indústrias?

GM – Na nossa visão não. Os casos quase na sua totalidade vieram de fora, agora que tivemos dois casos na indústria, mas eles já foram isolados e não nos afetou. Sabemos que é quase impossível frear 100% a entrada do vírus, mas temos a certeza que muita gente está trabalhando para combater esse mal. Porém, para que continue dando certo a população precisa fazer a sua parte, ou seja, não se acomodar e relaxar, é preciso estar em alerta sempre. Sempre digo que essa doença agora é de responsabilidade de todos, da mesma forma que a dengue. Todos tem que fazer a sua parte, sendo assim o contágio se tornará cada vez menor.

Leia Também:  Nerilda anuncia R$ 699 mil para recuperação da antiga estação que abrigará a Casa da Cultura de Arapoti

RR – Quem é Genesis Jesus Machado?

GM – Genesis Jesus Machado, 46 anos, jornalista, amante da comunicação. Filho do saudoso José Machado e da guerreira Jandira Machado Casado com a Eliana Silva, empresário no ramo de comunicação à 24 anos. Pai de quatro filhos de sangue: Genesis Machado (filho), André Machado, Dahra Machado, Lukas Machado. E também de três filhas do coração: Emília Kuster, Bruna Lorena Machado e Marcela Machado.

RR – Como você começou na área de comunicação?

GM – Comecei em Telêmaco Borba, no jornal Correio do Vale, inicialmente fui diretor administrativo e financeiro, mas muito rápido assumi todas as funções no jornal. Em 1999 me mudei para Siqueira Campos, onde eu já tinha o jornal Correio do Norte, me apaixonei pela cidade, formei minha família, e hoje sou um bairrista e defensor desse lugar.

RR – Como comunicador, como você vê esse setor atualmente?

GM– A comunicação vai se reinventado, se modernizando e ficando cada dia mais rápida. Porém os princípios básicos como a ética e a moral ainda prevalecem. Vivemos em um momento delicado, onde existe muitos profissionais mal intencionados, que não tiveram uma formação descente e as fakes News crescem diariamente, mas mesmo com todos esses problemas eu acredito que o mercado sempre está aberto para os bons profissionais. Muitas pessoas diziam que o jornal impresso acabaria. Não acabou e é um dos meios de maior credibilidade que existe. Eu trabalho com rádio é que uma fonte de notícia rápida e ainda temos o site, que pode publicar a notícia na hora em que ela acontece, igualmente acontece nas redes sociais, porém a credibilidade do papel é insuperável.

RR– Deixe um recado para a população siqueirense.

GM – Deixo meu agradecimento e meu apoio aos siqueirenses, que mesmo diante de toda essa dificuldade não desanimou e juntamente com a ACISC busca sempre resolver os problemas da nossa cidade da melhor maneira possível.

 

REGIANE ROMÃO.

COMENTE ABAIXO:

Campos Gerais

Servidora pública municipal de Arapoti recebe Moção de Aplauso na Câmara

Publicados

em

Foto: Divulgação

Na tarde desta quarta-feira (05) a Câmara realizou a entrega da Moção de Aplauso à servidora pública municipal Ivanise Soares Alexandre, proposta pelo vereador Divair da Silva (PV). A entrega virtual, devido à pandemia, contou com a presença de vereadores, colegas de trabalho e do filho, Mateus.

Ivanise se aposenta da função pública ainda este ano, após 34 de trabalho. Ingressou na Prefeitura Municipal de Arapoti em 1986 como professora, e em 1989 assumiu o concurso na Função de Oficial Administrativo B onde permanece até hoje. Atuou na área Educacional, Departamento Municipal de Educação, Secretaria Municipal de Saúde e na Secretaria de Finanças. Em 2001 assumiu o programa “Bolsa Escola”, que mais tarde em 2005 torna-se “Programa Bolsa Família”, sendo transferida para a Secretaria de Assistência Social, Na Pasta, continua a desenvolver o Cadastro Único e Programa Bosla Família, no Centro de Referência de Assistência Social – CRAS.

Nascida em Jaguariaíva em 25 de agosto de 1968, é filha de Delciro Soares e Vera Helena Soares, ambos de família tradicional e de destaque na cidade.Casada com Marcelo José Alexandre, é mãe de Mateus, estudante do Seminário SETEL – Seminário Luterano Livre da Igreja Batista Filadélfia, com o ideal de ser Pastor.

Ivanise cursou o Magistério no Colégio Estadual Rodrigues Alves em Jaguariaiva, na década de 1980. Formou-se em Pedagogia pela Faculdade Ciências e Letras de Itararé – FAFIT no ano de 1988. Em 2011 formou-se em Gestão Pública.


É elogiada pelos colegas com quem trabalhou por seu profissionalismo impecável, ‘sem deixar de ser amiga, conselheira e até mesmo MÃE’. Colegas com quem trabalhou na Educação a descrevem como sensível, correta e determinada.

Leia Também:  Homem é preso com três quilos de maconha em Ribeirão do Pinhal

A Câmara parabeniza Ivanise por toda sua determinação e dedicação ao longo da vida pública, a qual desempenhou com dignidade.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA

Aviso importante: A reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash, etc) do portal não é permitida e, caso se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismos de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria para reproduzir nosso conteúdo, entre em contato por e-mail. Copyright © 2020