conecte-se conosco


EM ALTA

Preço dos materiais de construção dispara e Procon aciona autoridades

Publicados

em

Foto: Ilustrativa - Reprodução/Internet

Órgão de defesa do consumidor no Paraná comunicou a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) sobre a elevação de preços durante a pandemia

 

Devido ao aumento significativo nos preços de materiais de construção durante a pandemia, como cimento, cabos elétricos e blocos cerâmicos, o Procon-PR, órgão vinculado à Secretaria da Justiça, Família e Trabalho, comunicou a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) para que providências sejam tomadas.

“O consumidor ainda se encontra vulnerável devido à pandemia da Covid-19 e qualquer aumento de preços cria um impacto muito grande nas finanças. Nosso compromisso é garantir os direitos do consumidor paranaense e junto ao Procon agir para tentar conter os abusos”, ressaltou o secretário estadual da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost.

A chefe do Procon-PR, Claudia Silvano, explicou que através de uma pesquisa realizada pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic) com 462 empresas de 25 estados ficou constatada a alta significativa nos preços. “Por se tratar de situação que não atinge somente o Estado do Paraná, comunicamos a Senacon para que, de maneira rápida, possa agir e assim minimizar os impactos para o consumidor”, disse.

Em caso de dúvidas e reclamações o consumidor pode acessar os canais de atendimento online do Procon-PR através do site http://www.consumidor.gov.br ou do aplicativo.

Leia Também:  Governo quer saber a opinião de pais e alunos sobre implantação de colégios cívico-militares no Paraná

 

Preços na Região

Em Wenceslau Braz, o preço do milheiro de tijolo está variando de R$ 600 a R$ 630, o que chega a ultrapassar uma parcela do auxílio emergencial, por exemplo. Já o saco de cimento varia de R$ 26 a R$ 28.

Em Siqueira Campos, a variação do preço é ainda maior, sendo que o milheiro de tijolo é encontrado entre R$ 555 a R$ 630. Já o cimento, é encontrado com valores entre R$ 27 e R$ 28.

Em Tomazina, apesar do tijolo estar em falta e apenas um material de construção consultado na pesquisa ter o produto, foi o local onde o milheiro de tijolos foi encontrado pelo preço mais barato custando R$ 500. Já o cimento apresenta a maior variação sendo encontrado com valores de R$ 26 a R$ 33,70.

A falta dos blocos também foi constatada em uma das Cerâmicas situadas em Siqueira Campos e, segundo informado, não há previsão para reposição do estoque.

 

Via: Redação com Assessoria.

COMENTE ABAIXO:

Cidades

Confaz define preços médios dos combustíveis. Veja os valores do Paraná

Publicados

em

Foto: Ilustrativa - Reprodução/Internet

O Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) divulgou nova tabela de Preços Médios Ponderados ao Consumidor Final (PMPF) de combustíveis em todo o país. A tabela traz o preço de onze produtos nas 27 unidades da federação e foi publicada na edição de ontem  do Diário Oficial da União (DOU).

Os novos valores passam a valer dia 1º de novembro. O PMPF é usado pelos estados como base para calcular o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), mas não define os preços na bomba de combustível dos postos.

 

Os valores dos combustíveis no Paraná

Gasolina Comum (litro) R$ 4,2300
Diesel (litro) R$ 3,2000
GLP (lg) R$ 5,1400
Etanol (litro) R$ 3,0300

 

Via: Bem Paraná.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Paraná chega a 4.998 óbitos causados pelo novo coronavírus
Continue lendo

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA

Aviso importante: A reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash, etc) do portal não é permitida e, caso se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismos de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria para reproduzir nosso conteúdo, entre em contato por e-mail. Copyright © 2020