19.3 C
Wenceslau Braz

Wenceslau Braz chega há 45 dias sem registrar mortes pela Covid-19

Município que já registrou 82 óbitos relacionados a doença está desde o dia 01 de agosto sem perder brazenses para Covid-19

- Advertisement -

Início do mês de setembro traz um recorde positivo à cidade de Wenceslau Braz, que chegou a marca de 45 dias sem registrar óbitos em decorrência da Covid-19. O município enfrentou um início de ano triste, tendo em março um dos piores meses da pandemia com média de uma morte por dia, o que fez o número de óbitos saltar.

Após deixar dezenas de vítimas e desolar famílias, o cenário começou a mudar com os avanços da vacinação contra a Covid-19 e, no segundo semestre, a situação começou a mudar com registro de baixas nos números de casos suspeitos, infectados, internações e óbitos.

- Advertisement -

A notícia traz esperança, visto que o ultimo caso registrado de óbito foi no dia 01 de agosto, onde o município contabilizou 82 mortes desde o início da pandemia, o último boletim oficial da cidade continua com o mesmo número de mortos.

Apesar disso, é importante destacar que a melhoria nos números da Covid no município não significa que o sinal de alerta da Covid foi desligado e a população deve continuar seguindo as orientações de prevenção a doença, principalmente o uso de máscaras e álcool gel.

Boletim

De acordo com o informe divulgado na tarde desta terça-feira (14), desde o início da pandemia foram registradas 82 mortes relacionadas a doença, sendo realizados 2.488 diagnósticos dos quais 2.386 pacientes estão recuperados. Os casos ativos seguem com 20 pessoas em acompanhamento e há 07 casos suspeitos aguardando resultados de exames.

Em relação a vacinação, a última atualização do boletim epidemiológico a Secretaria Municipal de Wenceslau Braz aponta que o município já vacinou 12.907 pessoas que receberam a primeira dose, enquanto 7.046 já receberam a segunda dose e 460 brazenses foram imunizados com a dose única.

Importância da vacina

Um levantamento feito através do banco de dados do sistema de informação da vigilância epidemiológica da gripe (SIVEP-Gripe), do Ministério da Saúde, revela que, no mês de agosto, 9.029 pessoas foram hospitalizadas com problemas relacionados à síndrome gripal e síndrome gripal aguda grave (SRAG) em todo o Estado do Paraná. Entre essas pessoas, apenas 3.327 (36,85% do total) informou ter tomado a primeira ou a segunda dose da vacina contra a Covid-19.

Dessa forma, temos um cenário no qual, ao longo do último mês, praticamente dois terços dos pacientes que deram entrada nos hospitais paranaenses não confirmaram se receberam o imunizante e podem, portanto, não terem sido vacinadas.

Os dados do SIVEP-Gripe, inclusive, servem como mais um indício da importância da vacina para proteger a população contra óbitos, hospitalizações e casos graves da doença pandêmica. Entre todos os pacientes que foram hospitalizados, por exemplo, apenas 1.633 informaram ter completado o ciclo vacinal, ou seja, tomado as duas doses da vacina anti-Covid (ou a dose única do fármaco, dependendo do imunizante). Isso significa que, no Paraná, apenas 18% dos Além disso, 2.671 pessoas demandaram cuidado intensivo, ou seja, foram parar numa Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ao longo do último mês por conta de síndrome gripal ou síndrome gripal aguda grave (SRAG).

Dentro desse contingente, apenas 1.003 pacientes haviam declarado ter sido vacinados contra a Covid-19, o equivalente a 37,55% do total; sendo que 515 (19,3% dos pacientes que foram para uma UTI) dessas pessoas haviam completado o ciclo vacinal.

Na última semana, entre os dias 5 e 10 de agosto, variou entre 1.718 e 1.685 o total de pessoas hospitalizadas no Paraná. Na sexta-feira, último dia com dados disponíveis, haviam 950 pacientes em UTI (taxa de ocupação de 55,49%) e outros 769 em enfermarias (taxa de ocupação de 41,08%). Pacientes que procuraram um hospital com algum quadro gripal já haviam sido completamente imunizados contra o novo coronavírus.

- Advertisement -

Deixe uma resposta

MAIS NOTÍCIAS