17.6 C
Wenceslau Braz

Macaco invade residência, pega faca, faz família de refém: Veja o vídeo

O pior é que ele não tem nem ‘tamanho’ para ser preso

- Advertisement -

Alguém chama a polícia! Um “meliante” causou terror na vida de uma família de Várzeas de Sousa, na Paraíba. E o pior é que ele não tem nem ‘tamanho’ para ser preso. Um macaco entrou na residência da dona de casa, Eliane Alexandre, no dia 28 de fevereiro, roubou uma faca, ‘ameaçou’ a família e fugiu para o telhado.

O caso, que mais parece uma piada, realmente aconteceu e foi noticiado pelo Jornal da Paraíba. Depois de ter feito a família de refém, o macaquinho teve a audácia de entrar na residência onde aproveitou para comer, explorar, tirar vários objetos da tomada e, ainda por cima, subir no colo dos moradores. É mole?

- Advertisement -

Embora não se tratasse de um indivíduo de alta periculosidade, a família permitiu a sua circulação na casa e até fez carinho nele. Isso que eu chamo de rei da cocada preta! Contudo, a família não pretende mantê-lo como hóspede, pois além de causar a maior bagunça (sem exageros), ele é um animal silvestre, portanto precisa viver como tal.

Por mais dócil que ele seja, já mostrou ter uma personalidade rebelde e bagunceira, como afirmou a dona de casa. “
A família acredita que ele era cuidado por pessoas que acabaram o soltando na região onde a família vive, cujo ambiente é de vasta vegetação. Agora, os moradores, que foram intimidados pelo macaco, pedem ajuda à Polícia Militar para conduzi-lo ao seu habitat natural.

Macaco usa faca para ameaçar pessoas em bar

A história do macaquinho da notícia anterior parece inédita e primária, mas um caso muito parecido já aconteceu na região em 2016. Segundo o Balanço Geral Manhã o caso ocorreu no município de Teixeira, no Sertão da Paraíba, e dessa vez, ao invés de moradores, as ‘vítimas’ do macaco foram clientes de um bar que testemunharam o macaco pegando uma faca da cozinha do local e ameaçando qualquer um que tentasse se aproximar.

Ele foi capturado pelo Corpo de Bombeiros e depois transferido para o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) da cidade de Sousa, também no Sertão, de acordo com o comandante do 4º BBM, Saulo Laurentino.

- Advertisement -

Deixe uma resposta

MAIS NOTÍCIAS