Política

Audiência recebe propostas de entidades de Arapoti

(Foto: Assessoria)

Aconteceu na noite desta quinta-feira (09) a Audiência Pública que debate com cidadãos e entidades propostas de investimentos a serem inseridos na LDO, que trata das diretrizes orçamentárias para 2019, em Arapoti. Participaram do encontro representantes da APAE, Nosso Cantinho, Parque Histórico da Imigração Holandesa, FADA, Associação de Moradores do Jardim Aratinga, dos profissionais em psicomotricidade relacional, Conselho de Saúde, entre outros. O Presidente da Comissão de Finanças e Orçamento, Jean Klichowski (MDB), dirigiu os trabalhos ao lado do vereador Divair da Silva (PV), do Secretário de Contabilidade, João Carlos Ribeiro, e do Contador do Município, Marcelo Brandão. Também acompanharam a reunião os vereadores Marineo Ferreira, Nei Ferreira e Ricardo Rodrigues Pedroso.



O que foi dito


"Essa é a oportunidade que a população tem de chegar mais perto do Poder Público. Muitas vezes o administrador não sabe qual a real necessidade dos cidadãos. Dessa forma, participando das Audiências, a população pode ajudar a administração a gerenciar melhor os recursos", disse Marcelo Brandão, contador da Prefeitura.

"Gradativamente começa a surtir nas pessoas a necessidade de discutir e decidir junto com o Poder Público as ações a serem executadas. Essa é a grande importância das Audiências Públicas, é o momento da população falar e ser ouvida pela administração, com um debate rico e construtivo", ressaltou o vereador Divair.

"Sem recurso público nosso trabalho seria impossível. E nós desenvolvemos um trabalho essencial para muitas famílias, onde os pais trabalham e não têm com quem deixar seus filhos. Além do amparo social que desenvolvemos. Por isso solicitamos a manutenção ou ampliação do recurso destinado", disse a diretora do CEI Nosso Cantinho, Nilce Lobo, que atende crianças de quatro meses a quatro anos de idade, e atua desde 1967, sendo mantida pela Associação São José, ligada à paróquia São João Batista.

"Agradeço a participação de todos pois assim é possível planejar o orçamento com maior clareza, conhecendo principalmente os anseios das entidades que desenvolvem importantes trabalhos na comunidade. As cobranças são necessárias e sempre bem vindas, pois desta forma mostram que se importam com o bem público e que acreditam que melhorar é possível", disse o Presidente da Audiência, Jean Carlos Klichowski.