Cidades

CREA conclui que obras em Santo Antônio da Platina representam perigo de acidentes

De acordo com especialistas, viaduto inacabado em Santo Antônio da Platina tem risco real para motoristas e pedestres
(Foto: NP Diário. )

Após cerca de dois meses de paralização nas obras do viaduto em um dos trevos de acesso ao município de Santo Antônio da Platina, engenheiros do CREA-PR (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná) estiveram no km 40 da BR-153 avaliando os riscos que o local representa para motoristas e pedestres. Como já era esperado, o resultado não foi outro, as obras inacabadas representam perigo de acidentes.

Além dos conselheiros e arquitetos do CREA, um representante da empresa responsável pelas obras, a Triunfo/Econorte, também esteve acompanhando a vistoria das obras que estão paralisadas desde dezembro de 2018, o que tem gerado preocupação por parte das autoridades e, principalmente, por moradores da região que utilizam o local como motoristas ou pedestres e estão apreensivos com os riscos de acidentes.

As obras no trevo já foram idealizadas visando o grande fluxo de veículos que utilizam o local para ter acesso ao parque de exposições, Hospital Regional, Rodoviária, Sesi, faculdade e também fica próximo ao posto da Polícia Rodoviária Federal. Porém, o que era para trazer mais alívio e segurança pra o trânsito, acabou se tornando uma bomba relógio que pode causar estragos a qualquer momento.

Como resultado do relatório dos especialistas, o local oferece perigo real de acidentes podendo causar danos a motoristas e pedestres. O caso deve ser denunciado ao Ministério Público. Uma comissão foi formada no município de Santo Antônio com o objetivo de pressionar o Poder Público ou a concessionária para que retomem as obras. Assim, uma reunião entre os representantes e a Justiça Federal está agendada para próxima quinta-feira (28).

A situação teve início após a 1ª Vara Judicial de Curitiba acatar uma liminar que determinou a redução na cobrança dos valores do pedágio e o fechamento da praça de Jacarezinho. Com isso, a concessionária suspendeu os serviços no local e se manifestou dizendo que, a partir de então, os trechos seriam responsabilidade dos municípios e do Estado. O secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, acionou a Procuradoria Geral do Estado para que as obras sejam retomadas.

Ainda em fevereiro, foi realizada uma audiência de conciliação onde a concessionária se propôs a retomar a execução dos serviços, desde que pudesse reativar a praça de pedágio e reajustar a tarifa da maneira que já era prevista desde dezembro, mas não houve acordo e a situação segue indefinida.

 

Informações: NP Diário.