Geral

Edison Brittes recebeu orientação de policial antes de ser preso

(Foto: Tribuna da Massa)

Edison Brittes, autor confesso do assassinato do jogador Daniel Corrêa Freitas, no dia 27 de outubro, em São José dos Pinhais, recebeu orientações de um policial civil antes de ser preso. Os áudios da conversa, acessados pela equipe da Rede Massa e do Massa News nesta quarta-feira (5), revelaram que Brittes foi incentivado a montar uma estratégia.

“Juninho, sou eu (...) não vai atrás do (...) vem aqui, passa aqui, vamos conversar, tem que montar estratégia técnica. O (...) fica só na conversa e te prendem daí”, afirma o policial por meio da conversa. Em seguida, Brittes entra em contato com um advogado indicado pelo amigo. “Oi, Dr., eu preferia encontrar o senhor pessoalmente hoje na hora que o senhor se ‘livrar’, aí, pode ser?”. 

Preso desde o dia 1 de novembro, Brittes teve a prisão preventiva decretada pela Justiça na última quinta-feira (29). No dia anterior, a Justiça aceitou a denúncia do Ministério Público do Paraná, em que o autor confesso responde por homicídio qualificado pela torpeza do motivo, pelo emprego de tortura ou outro meio insidioso ou cruel, e pelo crime ter sido cometido mediante recurso que impossibilitou a defesa da vítima, ocultação de cadáver, fraude processual, corrupção de menor e coação no curso do processo.

 

FONTE:Massa News