Outras Regiões

Escorpiões são encontrados em creche

Escorpiões encontrados em CMEI são da espécie 'manchado'
Escorpião Tityus costatus (Foto: Ministério da Saúde)

Os dois escorpiões encontrados nesta semana no Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Dinalva Túlio, em Santa Felicidade, Curitiba, são da espécie "Escorpião Manchado (Tityus costatus)". De acordo com a Secretaria da Saúde, o biólogo Diego Ferraz, coordenador do Serviço de Controle de Zoonoses, esteve nesta sexta-feira (8) no CMEI para uma visita de orientação e vistoria do local. Segundo a secretaria, nenhum novo escorpião foi encontrado. "Encontraram um local em muito bom estado nas condições de prevenção de animais peçonhentos", diz a secretaria.

A equipe recebeu dois escorpiões que haviam sido coletados na semana passada. Os escorpiões foram identificados como sendo da espécie Tityus costatus. Segundo os biólogos, essa espécie "não apresenta acidentes graves". A espécie também não é agressiva; os acidentes ocorrem apenas quando o animal sente-se ameaçado pelo indivíduo. Sua peçonha causa apenas reação local, tendo uma evolução benigna na maioria dos casos.

A espécie mede de 5 a 7 centímetros de comprimento; é castanho amarelado, com manchas nas pernas e palpos. As espécies encontradas na Região Sul apresentam uma coloração mais escura. O Escorpião Manchado é abundante na Mata Atlântica e ocorre nos estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

CMEI reabre segunda-feira

A Secretaria Municipal da Educação (SME) fechou a unidade onde os escorpiões foram encontrados e agora o CMEI passa por nova desinsetização. O trabalho, que inclui limpeza, deve durar todo fim de semana. O CMEI será reaberto na próxima segunda-feira (11). As secretaria municipais do Meio Ambiente e da Saúde também destacaram profissionais para evitar riscos à população.

De acordo com a secretaria, dois escorpiões foram encontrados na creche até agora. "As crianças foram encaminhadas nesta sexta-feira ao CMEI Butiatuvinha e voltarão a ser atendidas normalmente no Dinalva Túlio na segunda-feira (11/03). A unidade já havia passado por desinsetização em dezembro passado", diz em nota.

A situação assustou os pais dos alunos, que chegaram a acionar o prefeito Rafael Greca (PMN) pelas redes sociais. Na noite de quinta-feira (7), o prefeito se manifestou sobre o caso, anunciando a desinsetização do local e inspeção de terrenos baldios vizinhos.

O terreno ao lado do CMEI Dinalva Tulio foi apontado como principal causa da presença dos escorpiões. A Secretaria do Meio Ambiente foi acionada para roçar o terreno.

Duas mortes em 2018

No ano de 2017 foram registrados no Paraná mais de 17 mil acidentes com animais peçonhentos, sendo 2.396 por picada de escorpião com 3 óbitos. Em 2018, entre janeiro e outubro, o Estado contabilizou mais de 11 mil acidentes com peçonhentos, sendo que as picadas de escorpiões somaram 1.879 casos, com a confirmação de dois óbitos.

No Paraná, existem vários tipos de escorpiões nativos, como o marrom (Tityus bahiensis, Tityus costatus, Ananteris sp) e o pretinho, do gênero Bothriurus, espécies que não apresentam acidentes graves. No entanto, a partir da década de 80 foi introduzido no Estado o escorpião amarelo (Tityus serrulatus), espécie de maior periculosidade, sendo o principal causador dos óbitos.