jaguariaíva

Fornecimento para o Feira Verde incentiva produtores a ampliarem seus cultivos

(Foto: Divulgação)

O programa Feira Verde completa pouco mais de dois meses de implantação e para quem achou que se tratava apenas de um projeto de troca de lixo por alimentos, vai descobrir agora que o Feira Verde veio para transformar vidas.

Quem reside na área rural sabe o quanto é difícil manter a família no campo, tendo uma fonte de renda que proporcione não só o sustento, mas a dignidade que todo trabalhador merece.

A Vânia Aparecida dos Santos, mãe do César Augusto e da Maria Vitória, e esposa do Valter Iatenco conhece bem essa realidade. No início deste ano, ela ficou sabendo que a gestão municipal de Jaguariaíva lançaria um projeto e chamou pequenos produtores para fornecer seus produtos durante um ano.

De família humilde e trabalhadora, Vânia viu no Feira Verde uma oportunidade de vender as hortaliças produzidas no sítio da família e atendeu ao chamado da Secretaria de Desenvolvimento Social, mas a produção ficou pequena para tanta demanda e ela já quer expandir seu negócio. Moradora do bairro Várzea, Vânia é acompanhada pelo técnico da Emater Edo Rodrigues Mota e, com a ajuda da família, tem mostrado a força da mulher no campo.

Vânia já fornecia seus produtos para as escolas, por meio do PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar), a maior e mais abrangente experiência em programas de alimentação e nutrição na América do Sul, através do qual, em Jaguariaíva, milhares de alunos da rede municipal recebem em sua merenda diária itens saudáveis adquiridos da agricultura familiar. Agora, com o fornecimento para o Feira Verde, Vânia passou a entregar um maior volume mensal de produtos, como alface, repolho, couve, acelga, pepino, abobrinha, mandioca, beterraba, chuchu, entre outras culturas que ela tem em seu sítio.

O contrato de R$ 15 mil/ano ajudará a aumentar a produção e melhorar algumas coisas na horta, que já teve seu espaço ampliado. “Com o aumento da procura, a gente não está vencendo a demanda e isso é bom, porque podemos aumentar a produção sem medo, isso se deu devido ao Feira Verde, um programa que veio para somar para quem fornece e quem recebe. O preço pago é de consumidor final e não de revenda e isso nos ajuda a investir na ampliação do plantio”, relata Vânia.

A água da propriedade, que vem de poço artesiano, passou a ser distribuída através de um sistema de irrigação por gotejamento, simples, mas versátil. Os novos canteiros também ganharam cobertura, o que deve melhorar em 60% a qualidade das hortaliças. Novas sementes otimizadas também já entraram nos planos de Vânia, que pretende investir o valor em melhorias na produção.

Como são 19 agricultores fornecendo para o Feira Verde, há uma rotatividade de produtos a serem entregues, para que cada um forneça uma variedade diferente a cada semana, por isso, Vânia deve iniciar novas culturas, desta vez investindo nas frutas.

Vânia finaliza reafirmando o papel do Feira Verde para ela e a família. “Quando cheguei em Jaguariaíva, há uns 5 anos, não tinha ideia do que fazer para ter uma renda. Minha mãe então, recebeu o sítio e começamos a fazer a horta, hoje aquela fase do começo difícil já passou, mas vejo o quanto é importante o incentivo do poder público, não deixando a gente, que é agricultor familiar, a mercê da sorte. Esses incentivos dão esperança e gás para continuarmos”, finalizou.