Colunas

Geadas e frio intenso podem danificar medidores de água

A Sanepar faz uma alerta à população para que proteja seus hidrômetros nos dias de frio intenso. A queda das temperaturas e as geadas podem congelar a água dentro dos medidores e provocar o rompimento das tubulações que ficam expostas, causando a interrupção do abastecimento. A sugestão é que os moradores cubram o relógio e os canos aparentes com caixas de papelão, pedaços de plástico, lonas, ou com outros tipos de material que impeçam o acúmulo de gelo. Outra medida eficaz é fechar o registro de entrada de água à noite, para evitar o acúmulo e o congelamento da água dentro do equipamento e da tubulação. O gerente da Sanepar, Renato Mayer Bueno, diz que o material de proteção deve ser de fácil remoção. “O que for utilizado para evitar o congelamento da tubulação e dos equipamentos deve ser retirado assim que a temperatura subir ou na data prevista para a leitura da conta, para que o leiturista da Sanepar não tenha dificuldade no momento de fazer a leitura e entrega da conta”, completa.   OCORRÊNCIAS No ano passado, foram registradas 600 ocorrências em todo o Estado. As regiões Centro-Sul, Sudoeste e Sul foram as que tiveram maior volume de casos. Em Palmas, 160 imóveis tiveram desabastecimento pelo rompimento das tubulações e cavaletes. Em General Carneiro foram registrados 143 casos.   TEMPO O Simepar divulgou na manhã desta sexta-feira (09) que as temperaturas chegaram a 2,8º e que foi registrada chuva congelada em Palmas. A previsão é de ocorrência de geadas, de intensidade moderada a forte.  

Campanha do Estado sobre racismo institucional é finalista de prêmio nacional

A campanha sobre o racismo institucional do Governo do Paraná é finalista do Prêmio Profissionais do Ano 2017 na categoria Institucional Nacional. Produzida pela agência Master para a semana nacional da Consciência Negra, em 2016, a campanha teve mais de 16 milhões de views, atingindo cerca de 55 milhões de pessoas. A campanha Racismo Institucional também foi o comercial mais compartilhado no Brasil no Facebook em 2016, com 400 mil compartilhamentos. Ao todo, o comercial gerou R$ 12 milhões em mídia espontânea. Para o assessor especial de Políticas Públicas de Juventude e membro do Conselho de Promoção à Igualdade Racial (Consepir), Edson Lau Filho, ser finalista na premiação é o mais importante reconhecimento do mercado publicitário no Brasil, mas traz uma mensagem ainda mais relevante. “Precisamos enfrentar o silencioso e violento racismo que lega à população negra, em todo Brasil, uma cidadania de segunda classe. O Governo do Estado, através de diversas ações, tem trabalhado em prol da promoção à Igualdade Racial”, disse Lau. A coordenadora de Marketing da Secretaria de Estado da Comunicação Social, Fabíola Maziero, observa que a repercussão da campanha mostra a importância de discutir o racismo na sociedade. “Devemos refletir e trabalhar para mudar esse comportamento e a Comunicação Social tem este papel. Esperamos que, cada vez mais, as nossas campanhas gerem as conscientizações que buscamos”.