Colunas

General do Exército vai comandar Segurança no novo governo do Paraná

(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O General Luiz Felipe Kraemer Carbonell, atual chefe da Assessoria de Informações da Itaipu Binacional, é o primeiro nome de secretário de Estado anunciado para compor o futuro governo de Ratinho Junior. Carbonell assumirá a coordenação da Segurança Pública no Paraná.

O governador eleito disse que a escolha de Carbonell aconteceu depois de uma análise bastante criteriosa e reforça a importância que as ações de segurança pública terão em seu governo. “O Paraná tem território e população maiores que muitos países e está em uma região com duas fronteiras internacionais. A segurança pública do nosso estado tem que ser planejada e coordenada como se fosse um país”.

 

Requião pode ser candidato a prefeito de Curitiba

Há uma considerável corrente do MDB que defende a tese da candidatura do senador Roberto Requião a prefeito de Curitiba. Seria um peso pesado na disputa que já tem uma bastante  candidatos, a maioria perfilada à direita e nos fã clubes de Jair Bolsonaro (PSL). Requião, dizem os que defendem a tese, é o único nome capaz de unir as esquerdas dispersas e derrotadas. A avaliação dos números na eleição do primeiro turno mostra que é absolutamente viável essa candidatura, diz um analista da área.

Requião, que fica sem mandato, teria a oportunidade de voltar ao princípio, quando venceu a eleição para prefeito de Curitiba, em 1985, e ganhou musculatura para a carreira que veio depois, de três mandatos de governador e três de senador.

 

Além de Gleisi, dono da Havan processa Haddad e o PT

Mais uma ação foi movida por Luciano Hang, dono da rede varejista Havan, na quarta-feira (24), desta vez contra o PT e Haddad, com pedido de indenização de R$ 1 milhão. A inicial foi protocolada há pouco pelo advogado do empresário, Murilo Varasquim (da Nichel, Leal e Varasquim Advogados), tendo como foco a acusação feita pela propaganda política do PT que coloca Hang como integrante de uma suposta organização criminosa que visa influenciar a eleição. Pelos mesmos motivos, Hang já entrara com ação contra Gleisi Hoffmann (PT).

A defesa avalia como contraditório o posicionamento do PT e de seu candidato como vítimas de um esquema destinado a disseminar notícias falsas – e que contaria com a participação de Hang – ao mesmo tempo em que não apresenta provas para embasar esta afirmação. Os atos do PT e seu candidato seriam, ainda de acordo com a defesa, a definição de Fake News, publicando informações sem confirmar a verdade.

 

Relator da Lava Jato vota por Palocci em semi-aberto com tornozeleira

O relator da Operação Lava Jato no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, desembargador João Pedro Gebran Neto, votou nesta quarta-feira (24), pela progressão da pena do ex-ministro Antonio Palocci (governos Lula e Dilma) para o regime semi-aberto, com o uso de tornozeleira eletrônica.

O magistrado, inicialmente, se manifestou pelo aumento da pena inicialmente imposta a Palocci pelo juiz Sérgio Moro (12 anos e 2 meses de reclusão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro) para 18 anos. Em seguida, Gebran Neto votou pela redução à metade (9 anos e 10 meses), levando em conta a delação premiada de Palocci.

O julgamento, no entanto, foi adiado para o dia 28 de novembro, com pedido de vista do desembargador Leandro Paulsen.