Radar

Golpistas se passam por funcionários da Sanepar e furtam dinheiro de um casal

Situação aconteceu no município de Siqueira Campos quando dois homens se passando por funcionários da Companhia enganaram um casal e levaram R$ 700
Golpistas se passaram por funcionários da Sanepar e deram a desculpa que iriam verificar o registro de água para enganar o casal (Imagem: Reprodução)

Dois homens aplicaram um golpe na manhã desta quarta-feira (10) no município de Siqueira Campos. As vítimas foram um casal que entrou em contato com a equipe da Polícia Militar após perceber que haviam sido lesados pelos suspeitos.

Por volta das 10h30, um rapaz entrou em contato com a polícia para informar que sua mãe havia sido roubada. Os policiais se deslocaram até a Rua Curitiba, na Vila do Cruzeiro, onde foram recebidos pela mulher.

Ela contou a equipe que dois homens bateram palmas no portão e, ao ir atendê-los, os dois se apresentaram como funcionários da Sanepar e que estariam no local para checar o registro de água. A mulher acabou autorizando que os dois entrassem em seu quintal.

Os “encanadores” encontraram um vazamento em uma das torneiras da casa e, de imediato, se prontificaram a resolver o problema. Porém, enquanto um deles envolvia o casal com o suposto serviço, o outro aproveitou para entrar na residência e praticar um furto.

Ao terminar o serviço, os homens informaram que a taxa de serviço tinha o valor de R$ 48. A moradora realizou o pagamento com uma nota de R$ 50 e, ao ir no carro para buscar o troco, os dois indivíduos fugiram do local.

Quando a mulher entrou na casa, percebeu que sua bolsa estava revirada, momento em que se deu conta que havia sido vítima de um golpe. Ao verificar seus pertences veio o desespero, haviam sido levados R$ 700 em espécie que estavam guardados na bolsa. A vítima foi orientada quanto aos procedimentos cabíveis junto a Polícia Civil.

A Polícia Militar e Sanepar orientam a população que fiquem atentos quanto a supostos funcionários da empresa que se dirigem até as residências. Segundo a companhia, os funcionários não são autorizados a realizar serviços internos nas residências, sendo sua atuação restrita até o cavalete do registro.

Além disso, todos os colaboradores devem se identificar através de seu crachá e os veículos são identificados com o nome da empresa. Os funcionários também não estão autorizados a cobrar taxas de serviço, pois qualquer valor a ser repassado ao consumidor será feito através do talão de pagamento de água.