Política

Governo aumenta carga horária nas Casas Familiares Rurais

(Foto: Divulgação)

O Governo do Estado vai ampliar o atendimento das 22 Casas Familiares Rurais (CFRs) espalhadas pelo Paraná, modelo que integra o ensino formal à qualificação profissional dos filhos de agricultores familiares paranaenses em regime de alternância. O governador Carlos Massa Ratinho Junior autorizou o aumento na carga horária dos técnicos que acompanham de perto o dia a dia dos estudantes em cada uma das unidades.

A medida atende demanda defendida pelo líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Hussein Bakri, e o anúncio foi feito na terça-feira (24) em reunião no Palácio Iguaçu que contou com a presença do secretário da Educação e do Esporte, Renato Feder, do superintendente de Articulação Regional da Casa Civil, Gugu Bueno, de prefeitos e coordenadores das CFRs.

A quantia de horas dos profissionais nas áreas veterinária, agronômica e de coordenação varia de 13 horas a 56 horas, a depender da estrutura dos cursos ofertados. A Secretaria de Estado da Educação e do Esporte informa que a pasta fará uma análise detalhada para definir de quanto será a ampliação da carga horária.

“Esse aumento é importante para garantir o desenvolvimento das atividades, dentre elas visitas à propriedade das famílias dos alunos, essenciais na pedagogia da alternância que é utilizada nas casas familiares”, explicou Feder.

Com o aumento da carga horária, os técnicos poderão a acompanhar os alunos in loco nas propriedades. Atualmente o projeto atende diretamente 2,5 mil famílias. Elas funcionam em um modelo de alternância, em que os alunos passam um período na unidade de ensino em regime de internato e o restante na sua propriedade, integrando a teoria com a prática. São ofertados 18 cursos técnicos e quatro não técnicos – Ensino Médio com qualificação profissional.

“A metodologia de ensino é fantástica porque garante a permanência dos jovens no campo e estimula a produção agrícola nas comunidades. Por isso, o objetivo do Governo é modernizar as CFRs e permitir um salto na qualidade do ensino”, afirmou Hussein Bakri, líder do Governo e presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa.

As Casas Familiares Rurais estão nos municípios de Cascavel, Dois Vizinhos, Francisco Beltrão, Guarapuava, Ibati, Ivaiporã, Pato Branco, Pitanga, Telêmaco Borba, Umuarama e União da Vitória.

“Temos certeza que o Governo se sensibilizou quanto à importância das CFRs e, dentro do possível, atenderá nossas outras pautas, como a manutenção dos profissionais sem trocas todos os anos, a ampliação do nosso fundo rotativo, o acompanhamento de equipes que qualifiquem nossos profissionais”, comemorou Marco Antonio Geffer, coordenador da Casa Familiar Rural de Santa Maria do Oeste.

 

HISTÓRICO

Implantadas no Paraná em 1988, as Casas Familiares Rurais são um modelo que integra o ensino formal à qualificação profissional dos filhos de agricultores familiares. Elas funcionam em uma metodologia de alternância, em que o aluno passa um período na unidade de ensino em regime de internato, no qual tem aulas teóricas de Biologia, Matemática, Produção Animal e Vegetal, Agroindústria; e o restante na sua propriedade, onde coloca em prática o conhecimento adquirido em sala de aula.