Geral

“Graças a Deus sobrevivi e sem nenhuma sequela”, relata jovem sobre acidente

Os índices de acidentes são preocupantes, mas entre eles, há histórias de luta, superação e aquelas consideradas milagres, conheça a de Halison Jr de Oliveira
Devido a gravidade do acidente, Halison foi encaminhado à um hospital de Campo Largo (Foto: Divulgação/Arquivo pessoal)

Somente neste feriado de 7 de Setembro, nove pessoas perderam a vida nas rodovias federais do Paraná. Já após seis feriados prolongados deste ano, os índices da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e do Batalhão de Polícia Rodoviária da Polícia Militar do Paraná (BPRv), mostram que 64 cidadãos tiveram suas vidas ceifadas em decorrência de acidentes.

Contudo, entre esses números preocupantes, há histórias de luta, superação e aquelas consideradas milagres. Um desses fatos marcou a vida de um jovem de São José da Boa Vista no ano de 2013.

Passaram-se cinco anos, mas a história de Halison Júnior de Oliveira ainda é presente na memória do jovem que viveu momentos de medo após sofrer um acidente de motocicleta. Ele voltava de uma festa quando acabou perdendo o controle, vindo a colidir com outra motocicleta, ele estava à aproximadamente 3km de sua residência quando aconteceu o incidente.

Em meio a dor e ao medo, o jovem foi encaminhado ao Hospital de Caridade de São José da Boa Vista, porém, devido a gravidade do ocorrido, foi transferido ao Hospital São Lucas, em Campo Largo. Durante à viagem, Halison sofreu três paradas cardíacas, mas graças ao acompanhamento médico, sobreviveu.

Ao passar por diversos exames, o jovem foi diagnosticado com uma fratura exposta no fêmur e paralisação no pé, médicos cogitaram a possibilidade do rapaz ter que amputar a perna direita, momento de muito pânico, visto que uma de suas paixões é o futebol.

Emocionado, ele contou sobre este episódio em sua vida. “Meu principal medo era perder os movimentos das pernas, certo momento no hospital os médicos comentaram que havia a possibilidade de amputar minha perna direita, eu fiquei com muito medo de não poder fazer uma das coisas que eu mais gosto que é jogar bola, mas graças a Deus eu estou vivo e sem nenhuma sequela”, conta.

Durante o momento de internamento, seu alicerce foi a família, amigos e os médicos. “Foram eles que me deram forças para que eu conseguisse superar esse momento tão difícil, depois de muitas fisioterapias, com força de vontade e apoio eu fui voltando a ter uma vida normal e, graças a Deus, hoje eu faço tudo normalmente, inclusive jogar futebol”, frisa.

Acidente aconteceu à aproximadamente 3km da residência de Halison - FOTO:Fábio Manoel

 

ATENÇÃO

Visto as estatísticas é preciso redobrar a atenção na hora de colocar o pé na estrada para que os índices preocupantes referentes ao trânsito diminuam, como conta o Sargento da Polícia Militar Marco Aurélio.

“Os motoristas precisam ser conscientes, dirigir estando bem, física e mentalmente, sem o efeito de álcool ou drogas, mantendo sempre a calma e a direção defensiva. Em épocas festivas, é interessante que o condutor faça parceria com os amigos e revezem, o motorista daquela noite não vai beber, evitando acidentes”, frisa.

Além disso, o Sargento encerra ressaltando a importância de que os condutores respeitem as leis de trânsito e mantenham seus veículos vistoriados, para que não haja imprevistos indesejáveis que possam acarretar em acidentes.