Geral

Hospital Carolina Lupion pode receber gestantes do município de Sengés

(Foto: Folha Extra)

Os municípios de Jaguariaíva e Sengés discutiram na tarde de segunda-feira (13) a prestação de serviços pelo Hospital Municipal Carolina Lupion (HMCL) a pacientes sengeanas. O acordo foi específico para serviços de partos via SUS (Sistema Único de Saúde) à cidade vizinha que não possui maternidade.

A reunião sobre a pactuação ocorreu na Secretaria Municipal de Saúde (Semus) de Jaguariaíva, com a presença dos prefeitos de Jaguariaíva e Sengés, José Sloboda (Juca) e Nelson Pezinho, diretor da 3ª Regional de Saúde, Robson Xavier da Silva, secretárias municipais de Saúde Amália Cristina Alves (Jaguariaíva) e Jaqueline Nunes (Sengés), diretor do HMCL, Josias Zacharow Pedroso, secretários municipais Marlus Barbosa e Cleberton Bortoluzze, médicos, enfermeiras e técnicos.

Jaguariaíva será referência de Sengés apenas para gestantes de risco habitual. “As de alto risco devem ser encaminhadas para outros hospitais referenciados. Além disso, o pré-natal também continuará sendo feito na cidade de origem da paciente”, disse Amália, da Semus de Jaguariaíva. A secretária Jaqueline relatou que a média de encaminhamentos será de até 12 gestantes ao mês, acrescentando ainda que a melhoria vai contribuir no sistema de altas hospitalares em sua cidade.

Diferente de hospitais da região, que inclusive suspenderam atendimentos, o HMCL atende a demanda local, registra sobra de leitos e tem capacidade para expansão. O prefeito José Sloboda destaca que, além de estender as mãos a um município vizinho, a intenção com a pactuação é melhorar a eficiência. “Como contrapartida a este serviço que vamos prestar devemos receber do Governo do Estado verbas para custeio, com expectativa também de recursos para os investimentos que precisamos fazer”, esclareceu.

 

Integralidade

A medida também vem ao encontro da perspectiva da Secretaria de Estado da Saúde, que deve atuar na integração de serviços, registrou Silva, diretor da 3ª Regional. Ele relatou que a ideia é que hospitais mais estruturados tenham apoio do SUS para contribuir com o atendimento de vazios assistenciais em microrregiões, além de desafogar outras estruturas hospitalares. “Nós não conseguiremos prover a assistência à saúde das pessoas se não trabalharmos de forma articulada, tanto nos Estados como nos Municípios”, disse.

Conforme o gestor regional, num segundo momento o HCML poderá ser referenciado para outras demandas de saúde. “Jaguariaíva tem localização estratégica, por isso queremos fortalecer esta unidade hospitalar, a fim de que possa atender melhor ainda os munícipes daqui e também apoiar aos de outras regiões. Este é um processo que estamos iniciando agora”, completa. Silva citou a possibilidade de ampliação de atendimentos de especialidades e cirurgias eletivas.

O prefeito Nelson Pezinho comemorou a parceria com Jaguariaíva, que fica a menos de 50 quilômetros de Sengés, impactando na preservação da saúde de mães e nascituros. Ele observou que esta alteração vai beneficiar principalmente às moradoras da zona rural, que ficam mais tempo em deslocamento para hospitais de Castro e Ponta Grossa. Pezinho agradeceu à administração municipal jaguariaivense, que outra vez realiza um gesto humanitário. “Quando fomos atingidos pela chuva de granizo a Prefeitura de Jaguariaíva prontamente nos socorreu, com equipes e máquinas para colaborar na recuperação dos inúmeros danos sofridos pela população. Isso nós não podemos esquecer e mais uma vez deixamos nossos agradecimentos”, evidenciou.