Radar

Motorista encontrado amarrado em árvore forjou o próprio sequestro, afirma delegado

No último dia 21, a população de Jaguariaíva e região ficou alarmada com a “violência” de um suposto assalto, onde os bandidos deixaram a vítima amarrada à uma árvore no Bairro Primavera.

Resgatado após dois dias preso à um pinus, o motorista Vilmar Mazur relatou ter sido raptado há três dias no Posto Mirandinha, local onde pernoitava com o caminhão da empresa.

Com o caso sendo investigado com rigor pela Polícia Civil, por se tratar de um crime cujos autores ainda poderiam estar na cidade, os relatos do caminhoneiro foram ouvidos diversas vezes, mas alguns detalhes não faziam sentido.

O fato dos supostos bandidos terem levado apenas dinheiro e nenhum pertence pessoal da vitima, abriu uma lacuna no depoimento, que teve sua veracidade questionada.

De acordo com o delegado Derick Moura Jorge, a suspeita foi confirmada e tudo não passava de uma farsa que acabou sendo confessada  pelo motorista.

No relato verdadeiro, Vilmar afirmou que é usuário de drogas e, durante seu pernoite por Jaguariaíva, contratou duas acompanhantes que lhe forneceram o entorpecente.

Contudo, segundo seu depoimento, a droga e os serviços das profissionais foram pagos com dinheiro da empresa. Neste momento, provavelmente sem saber que satisfação daria ao patrão, resolveu forjar um seqüestro, no qual poderia alegar que teve todo dinheiro roubado.

Vilmar foi liberado, mas deve responder por falsa comunicação de crime.