campos gerais

Mulher marcou encontro com comerciante de Arapoti na noite do homicídio

["Keko foi morto na madrugada do dia 29 de dezembro do ano passado"] (Foto: Diulgação)

No final de 2018, mais precisamente no dia 29 de dezembro, o município de Arapoti virou notícia em toda região por um crime bárbaro que tirou a vida do comerciante Lupércio de Paula, conhecido como Keko.

Seu corpo foi encontrado no Jardim Aratinga com diversos ferimentos causados por golpes de faca, além de sinais de atropelamento. Uma cena de terror, onde o objetivo era torturar e matar o comerciante, visto que alguns objetos de valor foram preservados, inclusive o carro, que, de acordo com as investigações, os suspeitos tentaram vender, mas acabaram abandonando a alguns metros dali.

Após duas semanas de investigação, na tarde desta quinta-feira (10), o delegado Gumercindo Atahyde divulgou o andamento do caso, além de duas prisões, uma mulher de 21 anos, um homem de 37 e a apreensão de um adolescente de 17 anos.

A mulher teria ligado para Keko na noite do crime, marcando um encontro com a vítima. Em seu depoimento, ela afirma que seu intuito não era atrair o comerciante para a morte, contudo, o adolescente, com o qual também mantinha um relacionamento, descobriu o local do encontro e surpreendeu o casal, juntamente com o adulto de 37 anos, vindo a matar Keko e ainda obrigá-la a sair do local com eles.

Já o adolescente afirmou que a mulher planejou o crime com o intuito de vender os bens da vítima após sua morte.

O delegado responsável pelo caso garantiu que o inquérito estará concluído em alguns dias, pois ainda aguarda a liberação da justiça para a quebra de dados dos aparelhos celulares e o acesso ao resultado dos laudos periciais dos objetos encontrados na cena no crime.