Especiais

“Meu desejo para 2019 é que os pacientes do HCL se curem do câncer”, diz brazense

["L\u00facia Helena \u00e9 exemplo de luta, f\u00e9 e determina\u00e7\u00e3o"] (Foto: Folha Extra)

São muitos os desejos e planos para o Ano Novo, dentre sonhos como ingressar na faculdade, conquistar a primeira habilitação, comprar casa, carro, existem objetivos ainda mais profundos que tem como valor principal a vida.

Lúcia Helena Batista Antônio Salles, assim como cerca de 60 mil mulheres (dados do Instituto Nacional de Câncer) foi diagnosticada com câncer de mama em novembro de 2017, deste então, iniciou uma batalha contra a doença.

Hoje, após realizar sessões de quimioterapia, ela tem uma rotina normal, aliás, ela nunca deixou se abater pela enfermidade, sempre com muita fé e apoio da família lutou todos os dias por si e ainda deu apoio aos pacientes que passam pela mesma situação no Hospital do Câncer de Londrina (HCL). Atualmente com 61 anos, ela toma apenas medicamentos para doença não regressar.

Para 2019 seu principal desejo surpreende, em vez de pensar apenas em si, ou então em adquirir bens materiais, ela relata que seu sonho acabar com o sofrimento daqueles que acompanhou durante o tratamento da doença.

“Eu desejo de coração que as crianças e os idosos que estão recebendo tratamento no HCL se curem, quero muita saúde para todo o resto eu não tenho ambição, o que eu tenho está bom”, comenta.

 

Diagnóstico

Na primeira mamografia realizada em Lúcia, o nódulo que ela possuía não apareceu, mas preocupada com aquela “bolinha” que lhe incomodava, foi ao médico que, por sua vez, pediu um ultrassom, o exame localizou a patologia, porém, mesmo recebendo a triste notícia ela não se abalou.

“Eu nunca me abalei com nada nessa vida, o dia que caiu meu cabelo eu não chorei, tem pessoas que tratam o assunto como se fosse o fim do mundo e isso me deixa muito triste, pois desestimula muitos pacientes a lutarem pela vida. Agradeço a Deus e a todos que estiveram comigo nessa luta, creio que todos vão vencer, em nome de Jesus”, projeta.

O câncer de mama é o tipo de doença mais comum entre as  mulheres, correspondendo à aproximadamente 29% dos casos da enfermidade a cada ano no país.

 

Doença

Lúcia descobriu a doença após fazer o autoexame, deste então, suas lutas foram constantes. Apesar da dor do diagnóstico e das mudanças de hábitos, a mulher agradece por viver, por ter forças para conseguir vencer essa batalha e auxiliar outras pessoas que sofrem com a mesma enfermidade. Além disso, ela ressalta a importância das mulheres realizarem o toque para diagnóstico precoce da doença.

“É muito importante se auto examinar, pois a mulher percebe quando há algo diferente por mais insignificante que pareça, e é muito importante que ela vá ao médico, pois essa doença é silenciosa, a mulher só vai sentir dor quando a doença já está bem avançada”, relata.

O nódulo de Lúcia estava com 1 cm no dia da descoberta, no entanto até o dia da cirurgia, 21 de agosto, a patologia chegou a 1,30 cm, o que demonstra a importância do diagnóstico precoce para tratamento.