Eleições 2016

Na região 11 ex-prefeitos tentam nova gestão, mas apenas um deles se elege

[caption id="attachment_15126" align="aligncenter" width="700"]Entre os ex-prefeitos que estavam na disputa, Mário Pereiro foi o único que saiu vencedor Entre os ex-prefeitos que estavam na disputa, Mário Pereiro foi o único que saiu vencedor[/caption] A região se mostrou determinada a entrar no embalo do almejado processo de renovação na política que hoje tanto se fala (e pede) no país. Prova disso é que de 11 ex-prefeitos que foram candidatos ao cargo que já ocuparam em outras gestões, apenas um teve sucesso – Mário Pereira (PSC), em Ribeirão Claro. Além dele, outros dois até foram os mais votados em seus municípios, porém, com registros das candidaturas impugnados, também não são considerados eleitos pela justiça eleitoral. Esse é o caso de José Hagi Neto (PMDB), em Cambará, e Efraim Bueno (PMDB), em Quatiguá, que estão em situações que podem gerar desdobramentos judiciais. Já Luiz Faria (DEM) em Tomazina, Eduí Gonçalves (PSD) em Guapirama, Tina Toneti (PT) em Jacarezinho, Élcio José Vidal, o Calé (PSD) em Santana do Itararé, Celso Schmidt (PSD) em Santo Antônio da Platina, Leila Salvi (PSL) em Quatiguá, Nelson de Souza (PSDB) em Conselheiro Mairinck e Ademar de Barros (PSDB) em Jaguariaíva forram derrotados neste pleito. O detalhe era que alguns desses nomes eram considerados favoritos, mas acabaram surpreendidos por outros candidatos e podem ter se despedido da vida pública.   CASO A CASO Luiz Faria já foi prefeito de Tomazina por duas gestões, porém acabou derrotado por uma diferença mínima de 63 votos para o candidato do atual grupo de situação, o novato Flávio Zan (PSD), que disputou sua primeira eleição agora. Também dono de duas gestões em seu município é Eduí Gonçalves, que quatro anos após deixar a prefeitura de Guapirama foi vencido pelo atual gestor, Pedro de Oliveira (PMDB), que teve 53% dos votos válidos, contra 42% do antigo chefe do Executivo. Tina Toneti, que tentava voltar à prefeitura de Jacarezinho depois de quatro anos, era considerada favorita por muitos pelos avanços conseguidos em seus oito anos de gestão. As urnas, entretanto, dissolveram esse suposto favoritismo e a petista foi derrotada pelo atual prefeito local, Sérgio Eduardo de Farias, o Dr. Sérgio (DEM), com estrondosos 5 mil votos de diferença. Calé havia sido prefeito de Santana por um mandato e agora tentava retornar à prefeitura, porém esbarrou na presença de Joás (PDT), atual vice-prefeito e candidato pelo grupo de situação, que acabou vitorioso com pouco mais de 54% dos votos válidos do município. Talvez a maior surpresa desta eleição tenha acontecido em Santo Antônio da Platina, onde havia quatro fortes candidatos a prefeito e que estariam empatados tecnicamente em pesquisas. Celso Schmidt, ex-prefeito, era um desses fortes concorrentes e inclusive líder em algumas pesquisas. O resultado, porém, foi extremamente diferente, e Zezão Coelho, o Professor Zezão (PHS), surpreendeu e foi o eleito recebendo mais de 10 mil votos, o equivalente a 48% dos votos válidos e mais que o dobro de votos do segundo colocado. Schmidt ficou como o terceiro mais votado, com 3,5 mil votos recebidos.  Leila Salvi foi prefeita interina de Quatiguá por seis meses ano retrasado e agora tentava voltar ao cargo pelas urnas. Sua votação, porém, foi decepcionante e a atual vereadora conseguiu pouco mais de 300 votos, sendo a quarta melhor colocada na disputa, que teve Efraim como o mais votado com 2,6 mil votos. Nelson de Souza colocou à prova sua popularidade após ser prefeito de Conselheiro Mairink no início da década passada, mas o resultado não foi nada satisfatório. Com três nomes na disputa, o ex-prefeito foi o candidato menos votado entre os concorrentes, obtendo também pouco mais de 300 votos, contra 1,5 mil do candidato eleito, Alex Sandro (PSDB). Já em Jaguariaíva Ademar de Barros enfrentou dois grandes problemas: o primeiro era a força de seu adversário, o prefeito agora reeleito, Juca Sloboda (PHS), e o segundo era a justiça eleitoral. Além de uma condenação por improbidade referente a um de seus mandatos como prefeito, o ex-gestor municipal teve a candidatura rejeitada pelo próprio partido. Ademar até conseguiu se manter na disputa com liminares, porém foi derrotado com uma diferença de mais de 3 mil votos.   IBAITI Em Ibaiti o ex-prefeito Marlei Ferreira chegou a lançar candidatura, mas teve o registro indeferido e acabou desistindo, lançando então sua esposa, Norminha do Marlei (PDT), para ocupar sua vaga na coligação que fazia parte. Os eleitores locais, porém, assim como nos outros casos citados, preferiram “novos ares” e elegeram Antonely Carvalho, o Dr. Antonely (PMDB), dono de 51% dos votos válidos, contra 30% dos votos válidos da esposa do antigo gestor. LUCAS ALEIXO