Conteúdo inválido
Ops! A página que você tentou acessar não existe!
Geral

Nove em cada dez pequenos municípios enfrentam problemas com consumo de drogas

Resultado da pesquisa foi divulgado pela Confederação Nacional de Municípios. Paraná aparece com 89,9% de casos
(Foto: Reprodução/Internet)

Uma pesquisa divulgada nesta segunda-feira (13) pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) revela que 89% dos pequenos municípios do Paraná enfrentam problemas relacionados ao consumo e circulação de drogas. Ao todo, o estudo considerou os dados repassados por 136 municípios (35,59% das 399 cidades paranaenses), sendo principalmente municípios de pequeno porte – com menos de 50 mil habitantes.

Considerando o alcance da questão, a situação do Paraná chega a ser mais grave do que a média do restante do país, onde 85,43% das 1.599 cidades pesquisadas enfrentam problemas por conta do consumo e circulação de drogas.

Se considerado, no entanto, o nível desses problemas, temos que no Paraná 42,65% dos municípios apontaram que o nível é medio, ante 27,95% que consideraram o nível alto e 18,38% que indicaram o nível baixo. No Brasil como um todo, esses porcentuais são de 49,73% (médio), 36,24% (alto) e 13,68% (baixo), respectivamente.

A situação, explica a CNM, é analisada e classificada pelos gestores na pesquisa com base em suas próprias percepções. Portanto, não há números delimitando os níveis. Ainda assim, o estudo tem como grande mérito levantar a capilaridade do problema que, ainda segundo a Confederação, afeta tanto pequenas e grandes cidades, mais próximas o doistantes de grandes polos ou mesmo de fronteiras do país.

De acordo com o presidente da CNM, Glademir Aroldi, o grande problema é que nos municípios menores o alcance das drogas ainda esbarra na falta de recursos para o enfrentamento. “Não é possível um Caps em todas as cidades. Por isso precisamos de serviços regionalizados, com apoio da União e dos Estados também”, opina.

Segundo o estudo, apenas 21,13% dos municípios paranaenses pesquisados possuem Centros de Atenção Psicossocial (Caps), que prestam serviços de saúde de caráter aberto e comunitário, constituído por equipe multiprofissional. As principais áreas afetadas pelo usop de drogas são saúde (75,35%), educação (61,97%), segurança (59,86%) e assistência social (59,15%).

Nível dos problemas relacionados ao consumo de crack: Número de municípios pesquisados 142; Não responderam à pesquisa 6; Sem problemas 15; Baixo 25; Médio 58; Alto 38

 

A CADA DIA, 50 INTERNAÇÕES NO ESTADO

Segundo dados do Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH/SUS), do Ministério da Saúde, a cada dia no Paraná são registradas, em média, 50 internações decorrentes de problemas relacionados ao consumo de álcool e outras substâncias psicoativas, como opiáceos, canabinóides, sedativos e hipnóticos, cocaína e outros estimulantes.

Ao longo de todo o ano de 2018, último período com dados consolidados, haviam sido registradas 18.293 internações. O número aponta para um crescimento de 6,52% na comparação com o ano anterior, quando haviam sido registrados 17.174 internamentos por conta de transtornos mentais e comportamentais devido ao uso de substâncias psicoativas.