Política

Operação do Gaeco mira suposto esquema entre médicos e empresários para furar fila do SUS

["Gabinete de deputado, na Alep, \u00e9 um dos alvos de busca e apreens\u00e3o"] (Foto: Tarcísio Silveira/RPC )

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) deflagrou uma operação, na manhã desta segunda-feira (10), que mira um suposto esquema de propina entre médicos e empresários para furar a fila do Sistema Único de Sáude (SUS).

Há 12 mandados de prisão temporária e 45 de busca e apreensão sendo cumpridos no Paraná. Há políticos envolvidos.

Quatro médicos e dois funcionários do Hospital São Lucas, em Campo Largo, na Região Metropolitana da capital paranaense, foram presos, de acordo com o Gaeco.

A ação foi batizada de "Mustela" em alusão ao gênero de mamíferos que inclui animais conhecidos como furões.

 

Alvos

O gabinete do deputado estadual Ademir Bier (PSD), na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), em Curitiba, está entre os alvos. O Gaeco chegou ao local por volta das 7h.

Contudo, até o momento, não se sabe qual é o envolvimento dele no caso. Como Ademir Bier não foi reeleito nas últimas eleições, o mandato do deputado acaba no fim deste ano.

Há dois vereadores que também são alvos das ordens judiciais. Não foi informado quem são os parlamentares, nem quais as cidades.

Outro alvo é a empresa Solumedi, em Curitiba.

Inicialmente, havia sido dito que o Hospital Regional de Campo Largo era um dos alvos da operação mas, na verdade, é o Hospital São Lucas.

 

FONTE:RPC