Política

Peritos apontam possível sabotagem em avião de Eduardo Campos

Ex-candidato à presidência morreu em um acidente aéreo em 2014. Segundo laudo, sensor de velocidade estava desligado
Campos e outras seis pessoas morreram após a queda do avião em Santos (Foto: Foto: Reprodução/Internet)

No ano de 2014, o então candidato à presidência da República, o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, acabou perdendo a vida em um acidente aéreo registrado em Santos, litoral sul do estado de São Paulo. Na queda, outras seis pessoas que acompanhavam o candidato.

O acidente chocou o país, visto que a popularidade de Campos vinha crescendo Brasil a fora se tornando um nome forte para disputar uma vaga no segundo turno. O pernambucano, na última prévia antes de sua morte, havia subido pouco mais de dois pontos percentuais, enquanto a então ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e o senador Aécio Neves (PSDB) vinham apresentando ligeiras quedas.

Estes fatos acabaram levantando diversas hipóteses com relação as causas da queda do avião. Em alguns cenários, foram levantadas suspeitas de que o acidente poderia ter sido planejado e, na última semana, peritos contratados diretamente pela família do ex-candidato para analisar o caso emitiram um laudo apontando um possível sabotagem no avião de Campos.

De acordo com o laudo dos peritos, os sensores de velocidade da aeronave estavam desligados, o que pode ter induzido os pilotos a tomarem decisões equivocadas causando o acidente. Na época do acidente, outro fato que chamou a atenção dos investigadores foi que a caixa preta do avião não gravou os áudios do voo.