Radar

Polícia Civil desvenda morte de ex-detento apedrejado em pista de skate

(Foto: ASSESSORIA/PC)

Jaguariaíva iniciou o ano de 2018 com um crime de difícil elucidação, uma vez que na pista de skate do município, por volta das 05h do dia 01 de janeiro foi localizado um corpo com a face desfigurada por golpes de pedra.

Assim, a equipe da 42º DRP iniciou as investigações com o intuito de identificar a vítima, bem como os autores deste crime bárbaro. Após a realização de diversas diligências, com o apoio do Instituto de Identificação do Estado do Paraná, o qual procedeu à análise das impressões digitais do cadáver, identificou-se a vítima como sendo José Edvaldo Ribeiro Viana, o qual havia permanecido 12 anos no Complexo Médico Penal do Paraná, por ter assassinado sua mãe e irmã, cumprindo uma medida de segurança, uma vez que possuía uma enfermidade mental.

Após o delito, os policiais da Delegacia de Jaguariaíva realizaram a oitiva de diversas pessoas, sendo que a análise conjunta destes depoimentos permitiu a identificação dos autores do crime, quais sejam três jovens, sendo dois de 19 anos de idade e um de 23 anos. Realizado o interrogatório de um dos rapazes, o qual confessou o crime, afirmando que a vítima constantemente lhe “importunava”, uma vez que sempre tentava iniciar uma conversa com ele.

Assim, na data dos fatos, ele e seus amigos resolveram “dar uma lição” na vítima, para que esta não mais tentasse conversar com ele. No momento dos fatos o homem estava sentada, sozinha e embriagada na escadaria da pista de skate, sendo que os rapazes investiram fisicamente contra ele, agredindo-o com chutes e socos pelo corpo.

Quando a vítima já estava praticamente desfalecida no chão, um dos rapazes pegou uma grande pedra e soltou-a na cabeça da vítima, fazendo com que esta se quebrasse em pedaços menores, sendo que na sequência foram desferidos mais golpes contra a cabeça do mesmo com estes pedaços menores, ocasionando traumatismo crânio encefálico.

O laudo emitido pelo Instituto Médico Legal de Ponta Grossa revelou que a vítima, além de traumatismo craniano, possuía uma ferida na região do abdome, a qual revela que esta também havia sido esfaqueada.

Segundo informações, a vítima não os havia ameaçado e, tampouco, agredido, não tendo oferecido qualquer espécie de resistência aos atos por eles praticado, bem como que não possuía qualquer espécie de arrependimento, uma vez que a vítima “tinha mesmo que morrer, foi o certo” (palavras do autor).

Assim, foi representado pela prisão preventiva dos jovens, a qual foi deferida pelo Poder Judiciário local, sendo um dos autores preso pela Polícia Civil de Jaguariaíva na manhã da última sexta-feira (06) e recolhido na Cadeia Pública local, ao passo que os demais autores, os jovens Bruno Barbosa Lopes de Oliveira e Jhonatan Bruno de Oliveira Wrobel, encontram-se foragidos.

Por fim, todos os homicídios ocorridos no município de Jaguariaíva restam devidamente esclarecidos pela Polícia Civil.