Política

Prefeito de Japira corta horas de professoras da rede municipail

(Foto: Divulgação)

No mês de setembro, as Professoras da Rede Municipal de Educação foram surpreendidas por um corte inesperado de suas aulas extraordinárias, corte esse realizado pelo Prefeito Municipal, Ângelo Marcos Vigilato.

A Sessão da Câmara Municipal de Japira realizada ao final do mês de setembro reunião as professas e autoridades para que pudessem discutir tal assunto. O Prefeito justificou tal corte no Acórdão 3899/2017, oriundo do TCE – PR., e no equilíbrio das contas públicas.

Em declaração, o prefeito Ângelo Marcos Vigilato asseverou que, “Todos os municípios estão passando por dificuldades com as quedas de repasses neste final de ano e aqui situações políticas que causaram alguns prejuízos, aí tivemos que tomar medidas para conter os gastos o que, inclusive, é uma orientação do Tribunal de Contas”.

Para a professora Neiva, representante dos professores, argumentou que os cortes mesmo que necessários, é triste que a educação seja a primeira opção, “Nós nos sentimos prejudicados e desvalorizados, pois nós prestamos serviços e temos que dar atendimento as nossas crianças. É triste e lamentável que o município comece um corte pela área da educação”.

O Presidente da Casa de Leis, Sr. Thiago Augusto Mendes Abucarub, se posicionou sobre o assunto. “Nós salientamos aos professores que eles têm total apoio desta Casa e, inclusive, abrimos a oportunidade de que venham até a tribunal para fazer seus questionamentos e cobrar por respostas. Temos que esclarecer essa situação e defender uma educação de qualidade para nossas crianças”.

O Vereador Nivaldo Nicolau (PV), enviou ao chefe do Executivo um pedido de explicações sobre o assunto. Segundo o parlamentar, o prefeito mentiu quando justificou o corte das horas no Acórdão 3899/2017 e no equilíbrio das contas públicas.

“Não pode o Prefeito justificar o corte das horas das professoras no Acórdão 3899/2017, pois como vemos este Acórdão é de 2017, é foi o Prefeito que em 2019, através da Portaria 072/2019, atribuiu as horas extras”, ainda que “tal Acórdão é de uma consulta realizada pelo Município de Francisco Beltrão, onde perguntaram ao TCE – PR., se Professores com cargos de diretores poderiam receber a dobra mais a gratificação relativa ao cargo entendeu o TCE que somente seria devido a gratificação, então, nada tem a ver com o caso em Japira, faltando com a verdade o Prefeito”.

Em relação ao equilíbrio das contas públicas, salientou o Vereador, “não é verdade a declaração do Sr. Prefeito, pois houve o corte das horas das professoras, porém outros profissionais foram contratos para cumprir as horas que foram retiradas, faltando com a verdade mais uma vez o Prefeito Ângelo”. Ainda que, “foi um total desrespeito a nossas professoras, pois se o Prefeito acredita estar irregular tais horas, deveria ter aberto o contraditório para que as professoras prestassem explicações, e nada disso existiu, foi sim, um total desrespeito com a educação de Japira”, comentou.

A Folha Extra tentou contato com o Sindicato dos Servidores Públicos de Japira, e com o Sindjap, mas não houve respostas para os questionamentos da reportagem sobre o assunto.