Cidades

Prefeitura promove parceria para capacitação de catadores de recicláveis

Treinamento é realizado pelo PROVOPAR aos trabalhadores da ACOMAR por intermédio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente
Treinamento a trabalhadores da Acomar é promovido pela Provopar (Foto: Reprodução/PMA)

Os trabalhadores da Associação de Catadores de Materiais Recicláveis de Arapoti (ACOMAR) estão participando do programa EcoCidadão e Reciclo. O treinamento, que teve sua primeira etapa realizada em abril e ainda terá mais seis sessões mensais, é realizado pelo PROVOPAR em parceria com o Instituto das Águas.

A capacitação aos catadores foi providenciada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e faz parte dos esforços de apoio da Prefeitura à ACOMAR. O programa também inclui em seus objetivos a doação de equipamentos ao município. Pela participação, Arapoti já recebeu 20 lixeiras, que serão instaladas no Centro Administrativo Municipal e linha verde, e dez carrinhos de gari, já distribuídos aos funcionários.

“Esses trabalhadores fazem um importante trabalho, que contribui em muito para a sociedade, pois reciclar é uma forma de reduzir o lixo no ambiente e ajudar em sua preservação”, explica a Prefeita Nerilda Penna, que ainda destaca que dar o apoio municipal a iniciativas como essa é um dos compromissos de sua administração.

 

Programa EcoCidadão

O Programa EcoCidadão Paraná busca orientar, organizar e apoiar associações e cooperativas de catadores de material reciclável do Estado com o objetivo de reduzir o volume de resíduos recicláveis lançados em áreas de mananciais, fundos de vale, córregos e rios, minimizando o impacto de degradação ambiental.

O catador é estimulado a participar e intensificar ações de educação ambiental, desde a sensibilização porta a porta, para separação correta dos resíduos sólidos recicláveis, até a destinação final ambientalmente adequada dos mesmos, implicando em menor quantidade de resíduos dispostos a céu aberto.

O apoio às organizações de catadores possibilita o aumento da vida útil de aterros sanitários dos municípios, já que, com o incentivo à coleta seletiva, à logística reversa e à triagem do material, reduz-se o depósito de recicláveis nos aterros e estimula-se a devolução de materiais à cadeia produtiva, diminuindo a geração de rejeitos. A atividade organizada dos catadores de material reciclável abre caminho, ainda, para a inclusão social deles e de suas famílias, gerando trabalho e renda, permitindo sustentabilidade econômica e o fomento ao desenvolvimento local.