Política Regional

Presidente da câmara de Jaguariaíva promete insistência para congelar subsídios

Presidente-da-câmara-de-Jaguariaíva-promete Com o pensamento de que “a batalha está perdida, mas a guerra não”, o presidente da câmara de vereadores de Jaguariaíva, Adílson dos Passos Félix, o Adílson Gordo (PT), irá recolocar em pauta o projeto que congela os subsídios dos vereadores mesmo após o plenário rejeitar por maioria a primeira tentativa de manter os atuais subsídios para a próxima legislatura. Atualmente cada um dos 13 vereadores de Jaguariaíva tem um subsídio de R$ 5,9 mil mensais. O projeto, de autoria da mesa diretora, previa a manutenção destes valores para os próximos quatro anos, evitando assim aumento nos gastos públicos do município. Na hora da votação, porém, seis vereadores foram contrários ao projeto, enquanto apenas cinco concordaram com a iniciativa – houve ainda uma ausência na sessão da última terça-feira (17). O projeto, além de congelar o subsídio dos vereadores, também previa a mesma ação com salários de prefeito, vice e secretários municipais, mantendo assim para os próximos quatro anos o mesmo orçamento que existe hoje destinado ao pagamento dos agentes políticos do município. Os vereadores contrários ao projeto querem a equiparação entre o próprio subsídio e os salários dos secretários municipais – que hoje está em R$ 7 mil. A dúvida, entretanto, é se esses seis vereadores irão propor a redução do salário dos secretários municipais ou se vão tentar aumentar o subsídio dos eleitos para a Poder Legislativo em outubro, igualando assim os valores. Adílson, porém, se mantém no propósito de manter o atual subsídio dos vereadores. “Nós vamos recolocar em pauta este projeto de congelamento do subsídio dos vereadores. Temos prazo para votar o subsídio para a próxima legislatura e no momento seria impensável um aumento nos valores. Então vamos insistir no congelamento do subsídio para os próximos quatro anos”, garante. Na terça-feira votaram pelo congelamento dos vencimentos os vereadores Gilberto Mussi (DEM), Francilei Baitala (PDT), Pastor Valdemir Ferreira (PTB), Neuci Fonseca (PT) e Rafael de Souza (PR). O vereador José Marcos Pessa, o Marquito (PSDB), não esteve presente na sessão enquanto os demais foram contra o projeto. DA REDAÇÃO