Norte Pioneiro

Quatiguá protesta contra feminicídio neste fim de semana

Morte de Luciane Rita já é o segundo caso no município neste ano, onde mulheres foram assassinadas por ex-companheiros
Luciane Rita foi morta no domingo (7) em Guapirama (Foto: Divulgação - Arquivo Pessoal)

Dezenas de moradores de Quatiguá (PR) devem sair às ruas da cidade neste sábado (13) para protestar contra o assassinato de Luciane Rita, morta pelo ex-marido no último fim de semana. Foi o segundo caso de feminicídio registrado no município em 2019.

A morte de Luciane gerou indignação na comunidade e muita comoção nas redes sociais, onde a página “Justiça Por Luciane”, criada terça-feira (9), tem mais de 500 seguidores e diversas mensagens clamando por justiça.

O protesto de sábado é organizado pelo grupo chamado “Luta Contra o Feminicídio” e deverá contar com amigos e familiares da vítima. A ideia é buscar uma conscientização maior sobre o feminicídio e a Lei Maria de Penha. A passeata terá início em frente à prefeitura e deverá percorrer principais ruas do centro da cidade.

MORTES

Antes de Luciane, porém, outro caso em fevereiro deste ano já havia tido repercussão nacional quando Camila Domingues Borges, de 28 anos, foi assassinada dentro da própria casa com um botijão de gás pelo ex-marido.

O assassino, Marcelo Gabriel da Rocha, de 40 anos, tentou fugir logo após o crime, mas acabou preso pela Polícia Militar em Japira (PR). Ele já tinha uma série de passagens pela polícia, inclusive por violência doméstica, e estava preso até poucos dias antes do crime justamente por descumprir uma medida protetiva contra a vítima.

Já Luciane foi assassinada em Guapirama no último domingo (7) também pelo ex-marido, Adelmo Cordasco Prado, de 27 anos. Ele confessou à PM ter agredido e asfixiado a vítima dentro do carro que pertencia ao casal, mas que havia ficado com Luciane após o divórcio.

Adelmo ateou fogo no carro em uma estrada da zona rural do município. A vítima e o agressor estavam separados há dois meses e tinham dois filhos.