campos gerais

Sobrevivente de tragédia pede ajuda para compra de prótese

Atualmente, Dani tem 25 anos e agradece a Deus pelo milagre recebido (Foto: Divulgação)

Com muita dor e ao mesmo tempo alívio, Daniele de Carmo Bueno, a Dani, como costuma ser chamada, agradece a Deus pelo milagre recebido no dia 3 de dezembro de 2017, quando durante um passeio de motocicleta com o namorado e o amigo, os três acabaram se envolvendo em um acidente em sua cidade, Arapoti.

Dani foi a única sobrevivente da fatalidade que tirou a vida do jovem Luiz Carlos Sutil, de 18 anos e Raone Felipe Lopes dos Santos, de 21 anos.

“Eu nasci de novo”. De acordo com a moça, essa frase resume o que aconteceu em sua vida naquele dia fatídico, que deveria ser apenas mais um domingo de passeio, mas acabou em uma verdadeira tragédia.

“Foi Deus quem me protegeu e me manteve viva. Assim que cheguei em casa, após nove dias em coma no hospital, minha família, amigos e eu realizamos bingos, rifas e adquiri os remédios que precisava, mas agora para minha prótese, já estou encontrando dificuldades, pois o povo já não ajuda como antes”, comenta.

A sobrevivente conta que a paixão que o casal tinha por duas rodas se perdeu em meio ao acidente, que deixou sequelas físicas e emocionais. “Moto era a nossa paixão, hoje tenho trauma, pois eu lembro do meu namorado que veio a óbito no local. Quando vou para Campo Largo nos retornos médicos, passo muito medo, imagino que os caminhões vão bater no veículo que estou, do nada grito e entro em desespero, até na cidade tenho medo nas esquinas”, lamenta.

“A data do acidente vai ficar marcada para sempre em minha vida, eu nasci de novo”, declara.

Atualmente com 25 anos e ainda em recuperação, Dani faz fisioterapia no braço esquerdo, fraturado em dois lugares, fato mínimo para quem esteve entre a vida e a morte, após ser atropelada por uma carreta de nove eixos com 50 toneladas de insumos.

 

Em busca de ajuda

A jovem faz um apelo para população da região e empresários que possam contribuir com seu sonho de voltar a ter uma vida normal com uma prótese.

A prótese, citada pela moça, custa R$ 35 mil, devido ao enxerto de sua perna exigir cuidados especiais. O valor é alto e Dani tem buscado doações, mas até o momento, ela arrecadou apenas R$ 600, valor muito inferior ao necessário para adquirir o objeto.

“Agradeço a todos que me ajudaram de alguma forma para que eu superasse esse momento tão difícil e peço de coração que as pessoas contribuam com esse sonho de eu conseguir minha prótese, é complicado, até hoje eu só consegui R$ 600, quero voltar a rotina normal. Toda ajuda é bem vinda”, finaliza.

Quem quiser contribuir com a Dani pode entrar em contato pelos números: (43) 9.9961-4277 - Dani ou (43) 9.9801-2611- Grazi.