Opinião

Topa dividir a conta?

Em um de seus pronunciamentos, o presidente Michel Temer anunciou que a queda no valor do diesel iria gerar um prejuízo de aproximadamente R$ 10 bilhões, valor que, segundo ele, será repassado ao contribuinte.

Curioso que quem paga a conta, em sua maioria são trabalhadores que ganham o equivalente à R$ 954/mês, sem auxílios, sem bônus, sem nada.

Se o país funcionasse como realmente deveria, (uma utopia para muitos é claro), os cargos eletivos federais, que somam os altos salários do país, dividiriam a conta com o contribuinte. 

Levando em consideração que no Planalto entre 81 senadores, 29 ministros e 513 deputados federais, o salário de cada um segue uma base de R$ 31 mil para mais, se cada um deles aceitasse ficar com apenas R$ 10 mil (que já é quase 11 vezes mais que um salário de trabalhador), geraria uma economia de R$ 12,5 milhões por mês, isso mantendo as mordomias como auxílio terno e carro particular (bancados também com o dinheiro do povo).

Mas isso é apenas um sonho, que na democracia onde vivemos (escolhendo a cada eleição, os ladrões que irão nos roubar), será impossível de acontecer.

A impressão que dá é que os políticos são os grandes empresários do país, que escravizam o povo dia a dia, mas diferente de uma indústria que emprega e cria oportunidade de um pai de família sustentar uma casa, eles não nos dão nada em troca, apenas tiram.

70% de seu salário é destinado à impostos e quando você precisa de uma Saúde de qualidade, nada! Educação então, esqueça. Segurança, cada um por si e Deus por todos.

E quando um presidente diz que mais R$ 10 bilhões sairão das costas do contribuinte, a conta não fecha, pois da parte deles que ganham 30 x mais que a maioria, de nada se abre mão e de nós, pobres brasileiros, não há mais de onde tirar.