Colunas

Um Paraná de oportunidades para investidores

Grandes projetos, nova política de concessões, austeridade com o dinheiro público, gestão moderna e mais segurança para o investidor. Esse é o Paraná que foi apresentado para mais de 100 representantes de grandes empresas, bancos, gestores de recursos, seguradoras e fundos de pensão na terça-feira (5) durante o Paraná Day, um dia inteiro de palestras e muitas conversas, com a presença do governador Ratinho Junior, secretários de Estado e dos presidentes da Sanepar, Copel, Agepar e Celepar. Promovido pela XP Investimentos, o encontro visa aproximar investidores de oportunidades. O coordenador institucional da XP, Leandro Salles Santos afirmou que o Paraná foi escolhido como primeiro estado a sediar o evento porque se tornou muito receptivo à iniciativa privada. No encontro, foi sancionada a nova lei estadual que trata de concessões, privatizações e parcerias público-privadas. É uma das legislações mais avançadas do País.

 

Estado estratégico

Ao abrir o encontro, o governador Ratinho Junior reforçou a necessidade do investimento privado para melhorar a infraestrutura, reafirmando que o poder público não tem mais como fazer grandes investimentos. Segundo ele, além de obras em rodovias e no sistema logístico, o Paraná deve abrir oportunidades aos investidores também nas áreas de saúde, educação, turismo e da segurança pública. “Os empresários estão em busca de projetos nos estados e demonstramos que o Paraná estrategicamente é a melhor opção”, afirmou.

 

Mais transparência

Arrolada em investigações por conta dos atuais contratos do Anel de Integração, a Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná (Agepar) também é objeto da nova lei de concessões. O objetivo da regulamentação é ampliar a transparência nas atividades do órgão e garantir independência e credibilidade para a agência. O governo estadual entende que este é um instrumento importante para dar segurança jurídica aos investidores.

 

Tá favorável

Fernando Vernalha, consultor que ajudou a desenhar o Programa de Parcerias do Paraná (PAR), acredita que o estado está criando um ambiente favorável para os negócios. Segundo ele, o programa tem a intenção de dobrar investimentos na infraestrutura do Estado. Os recursos da iniciativa privada devem desafogar as demandas feitas à administração pública.

 

Objetivo é descomplicar

“A Celepar propõe um governo inteligente que se antecipa ao que vai acontecer. O Paraná tem que ser um estado simples, rápido e tecnológico”, afirmou o presidente da companhia, Allan Costa.

 

As joias da coroa

Joias da coroa do Governo, Copel e Sanepar foram apresentadas por seus presidentes a investidores que estiveram no Paraná Day. Daniel Pimentel Slaviero ressaltou que na Copel o foco é a disciplina financeira e o aprimoramento do DNA da empresa, que é gerar, distribuir e comercializar energia. O presidente da Sanepar, Claudio Stábile, destacou a programação de investimentos da estadual. Serão R$ 7,12 bilhões de investimentos entre 2019 e 2023.

 

Sem privilégios

O governo encaminhou na terça-feira (05) à Assembleia a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que propõe o fim do pagamento de aposentadorias a ex-governadores. A medida se soma a outras ações para diminuir o inchaço da máquina pública e cortar privilégios.

 

Pra sempre!

Questionado sobre a economia que o fim das aposentadorias de ex-governadores poderia gerar aos cofres públicos, o governador Ratinho Junior afirmou que era uma conta difícil, mas que o Estado passará a “economizar para sempre”.