Política

Vereadores aprovam aumento de 300% no salário e revoltam população

Decisão passou em segunda votação e segue para ser sancionada ou vetada pelo prefeito de Santo Antônio da Platina
(Foto: Divulgação)

Uma decisão da Câmara de Vereadores de Santo Antônio da Platina causou revolta na população do município. Isso porque os parlamentares aprovaram na última segunda-feira (5) um aumento de mais de 300% no salário.

Se há alguns anos a pressão popular foi fundamental para parar um projeto de aumento de salário e, pelo contrário, acabou culminando na redução dos vencimentos dos parlamentares de R$ 3,7 mil para R$ 970 para os mandatos assumidos a partir de 2017, esta semana a conquista que chegou a ser dada como exemplo para outras Casas de Lei em todo país sofreu um retrocesso.

Na noite da última segunda-feira, os vereadores aprovaram por cinco votos a quatro o aumento que eleva em mais de 300% os salários dos parlamentares que assumirem as cadeiras na câmara em janeiro de 2021. Com a decisão, os vencimentos de R$ 998 saltam para casa dos R$ 4.251.  

Em contato com a Câmara, a reportagem foi informada que a decisão dos vereadores foi encaminhada ao Poder Executivo na tarde desta quarta-feira (7). Com isso, o prefeito Jose da Silva Coelho Neto, o Professor Zezão (PHS), pode vetar ou sancionar o projeto. Apesar disso, mesmo que Zezão vete a decisão, os parlamentares podem derrubar o veto em nova votação caso atinjam a maioria simples dos votos. O prazo para decisão do chefe do Executivo é de aproximadamente 15 dias.

Com um número de populares presentes na Câmara menor do que na primeira votação, os vereadores discutiram e votaram o projeto em pouco mais de oito minutos, uma decisão que, numa visão geral, deve gerar um aumento de R$ 351 no orçamento anual da casa.

O placar de cinco a quatro foi composto por Odemir Jacob (PHS) – presidente da Câmara, Luiz Flávio Reinutti Maiorky (PSDB) – vice-presidente, Genivaldo Marques (PSDB) – 1° Secretário, Rudinei Benedito Esteves (MDB) – 2° Secretário e José Jaime Paula Silva (PSDB), os quais votaram a favor do projeto. Já os vereadores Mirian Rodrigues Bonomo Montanheiro (Podemos), Luciano de Almeida Moraes (PTB), Jefferson Vernier (PHS) e Edson Muniz Gonçalves (PHS) foram contrários a medida.

 

População

Alguns populares que estiveram presentes na sessão lamentaram que o clamor popular visto durante a primeira votação, a qual a Casa de Leis esteve lotada, tenha diminuído. Além disso, muitos enxergaram com indignação a decisão dos parlamentares, visto que o país tem passado por um período de crise nos últimos anos.

 

Vereadores

 

Do ponto de vista dos vereadores que votaram a favor do projeto, a medida é uma recomposição salarial, pois, desde 2016, os vencimentos estão na casa de um salário mínimo, o que foge da realidade de outras Câmaras pelo país onde os vereadores realizam as mesmas atividades que os parlamentares platinenses e recebem uma remuneração maior.  

Informações: G1.com