conecte-se conosco

unopar

TALENTOS DA REGIÃO

Startup Brazense fecha sociedade com grupo empresarial paulista

Publicados

em

Segundo informações do diretor da Mobpar, startup que nasceu em Wenceslau Braz, Cristiano Savagin, o contrato de sociedade foi fechado com uma das maiores holding de franquias do Brasil, o que possibilitará a nacionalização da empresa. “No final de fevereiro trouxemos em nossas páginas sobre a MobPar, empresa brazense de transporte  que ia ser lançada no final do mês de março com foco a princípio no Paraná, no entanto, os planos se desenvolveram e agora temos a possibilidade de levar nosso produto para outros estados”, afirmou.

Mesmo depois de tudo pronto o aplicativo, que já está disponível para ser baixado nas duas principais lojas (Play Store e App Store) não foi lançado devido a pandemia do Coronavírus. “Seguramos o início dessas operações para preservar a segurança, tanto dos motoristas quanto das famílias que seriam atendidas pelo serviço de mobilidade urbana”, completou Savagin.

Ainda segundo o diretor, o cancelamento do lançamento gerou um grande prejuízo financeiro. “Foi tristeza por ver tudo pronto e não poder lançar o app, mas na vida tudo é tempo de Deus, com o cancelamento continuamos trabalhando, acreditando no projeto, quando recebemos o primeiro contato de um grupo de empresários que gostariam de conhecer melhor nosso projeto, que também estava inscrito no Programa de TV Shark Thank Brasil”, informou.

Leia Também:  Tribunal de Justiça mantém condenação e multa Paulo Leonar por improbidade administrativa

Savagin contou também que depois de quase 30 dias de negociações, troca de informações e reuniões on-line foi fechado uma grande sociedade para a criação da MobPar Franqueadora, onde a empresa brazense ficará com 50% das taxas de vendas de franquias e 50% dos royalties mensais dos franqueados, além de outra metade com o grupo de empresários, que tem hoje em torno de 40 marcas e 1500 franquias vendidas. “Com esse plano de expansão nacional, a MobPar será a primeira empresa do ramo a ser formatada para venda de franquias no Brasil e exterior, ao contrário daqueles que são importadas de lá pra cá”, disse.

“O contrato assinado é como sementes plantadas que em breve darão as flores e frutos, por que todo processo de formatação leva de 3 a 4 meses para ficar pronto para o lançamento e comercialização. A diferença que até a assinatura do contrato eu era sozinho lutando para ter um espaço no segmento e agora a empresa conta com um volumoso aporte financeiro e uma equipe em todas as áreas necessárias para o crescimento e fortalecimento da marca”, afirmou.

Leia Também:  Mais duas mortes e novos casos de coronavírus na região

O lançamento oficial da plataforma está programado para outubro, se até lá houver sinais de estabilidade na pandemia.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Campos Gerais

Acima da média, Arapoti tem boa colocação no ranking da transparência

Publicados

em

Prefeita Nerilda Penna (PP), destacou o compromisso e empenho da administração quanto a transparência. Foto CNM/Divulgação

Dos 399 municípios do Paraná, Arapoti ficou na 52ª colocação, com 75,50% ITP – Índice de Transparência da Administração Pública. A cidade está à frente de outros municípios da região do mesmo porte habitacional e econômico, como Wenceslau Braz e Ibaiti, por exemplo, que por ordem ficaram na 379ª colocação e 241ª.

A prefeita Nerilda Penna (PP), destacou o compromisso e empenho da administração quanto a transparência. Nerilda defende total transparência na gestão pública como sinônimo de respeito ao cidadão. “É dever da administração pública zelar e prestar contas do investimento público, seja ele qual for. Esse é um dos pilares da nossa gestão”, citou a prefeita.

Arapoti está à frente inclusive de Curitiba (198º no Estado). Na região, o primeiro município mais transparente, de acordo com o TCE é Ponta Grossa (8º da lista). Dentre os 52 municípios, além de PG, Castro (21ª), Piraí do Sul (29ª) e Telêmaco Borba (34ª) são municípios que neste momento tiveram posições melhores no hanking.

“É dever da administração pública zelar e prestar contas do investimento público, seja ele qual for. Esse é um dos pilares da nossa gestão”

Metodologia – Para obter o ranking, o Tribunal de Contas do Estado usou como base o ITP (Índice de Transparência da Administração Pública) de cada prefeitura. O indicador, desenvolvido pelo TCE-PR em 2018, foi aferido pela primeira vez no final do ano passado.

Leia Também:  Prefeitos da região recebem notificação do TCE para identificação de funcionários que fraudaram o auxílio emergencial

Para medir o desempenho de cada portal e aferir o resultado, foi firmado um termo de cooperação técnico-científica entre o TCE-PR e a Universidade Positivo. Depois o órgão de fiscalização realizou 12 encontros regionais, entre outubro e novembro de 2019, nos quais 35 alunos do 1º ao 5º ano do curso de Direito da instituição de ensino analisaram a qualidade dos portais da transparência municipais.

Ao longo de todo o processo, os estudantes foram orientados por servidores do TCE-PR que, após os encontros, validaram, por amostragem, os resultados obtidos pelos universitários. A avaliação dos portais levou em consideração cinco dimensões: transparência administrativa, transparência financeira, transparência passiva, boas práticas e usabilidade.

A meta é utilizar o indicador como um dos critérios de apreciação das contas anuais dos gestores públicos paranaenses, além de usar também como fator de risco para o planejamento das atividades de fiscalização do órgão de controle.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA

Aviso importante: A reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash, etc) do portal não é permitida e, caso se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismos de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria para reproduzir nosso conteúdo, entre em contato por e-mail. Copyright © 2020