conecte-se conosco

unopar

Internacional

Iraniana de 103 anos é curada do novo coronavírus, diz agência

Publicados

em


source
Coronavírus arrow-options
Reprodução/NIAID-NIH

Esse foi o segundo caso de paciente com idade avançada que foi curado no Irã.

Segundo informações divulgadas pela agência oficial Irna, uma iraniana de 103 anos recebeu alta do hospital após ser curada do novo coronavírus. Paciente teria sido contaminada na cidade de Semnan, a 180 km de Teerã, capital do Irã.

Leia também: Uruguai avalia declarar quarentena geral devido ao coronavírus

De acordo com a agência, esse é o segundo caso de paciente com idade avançada que é infectado pelo coronavírus e consegue se recuperar no país. A taxa de letalidade do vírus é maior entre os pacientes com mais de 60 anos.

Apesar da notícia positiva, o Irã registrou 147 mortes causadas pelo coronavírus nas últimas 24 horas, totalizando 1.135 fatalidades desde o começo da pandemia. Além disso, o país também anunciou que 1.192 novas infecções, elevando o número de casos do país para 17.161.

Fonte: IG Mundo

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Com mais de mil mortos por Covid-19, Espanha fecha hotéis
Propaganda

Esportes

Fórmula 1 vai evitar países com sistemas de saúde debilitados e insuficientes

Publicados

em

A Fórmula 1 vai evitar ir a países com sistemas de saúde debilitados em razão da pandemia do novo coronavírus e incapazes de garantir a segurança das pessoas, assegurou o austríaco Alexander Wurz, presidente da Associação dos Pilotos de Grande Prêmio (GPDA, na sigla em inglês).

“Não iremos a países onde a crise da saúde seja tão grave que não haja capacidade suficiente em seu sistema médico”, enfatizou Wurz, em entrevista ao “Vodcast” da emissora Sky Sports.

O representante dos pilotos participou de uma reunião via videoconferência com o chefão da Fórmula 1, Chase Carey, e o presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Jean Todt, em que foram discutidas maneiras de minimizar os ricos de contágio durante a temporada, que ainda está para ser iniciada.

“Não houve negociação, apenas debate para contribuir com ideias a fim de certificarmos que possamos retornar o mais breve possível e, acima de tudo, da maneira mais segura. Jean Todt e Chase Carey deixaram isso bem claro”, afirmou o ex-piloto.

Wurz garantiu que a Fórmula 1 se tornou uma “indústria extremamente segura” após as mortes do austríaco Roland Ratzenberger, durante treino classificatório para o GP de San Marino de 1994, e de Ayrton Senna, na corrida no dia seguinte. No entanto, agora, com o coronavírus, os planos terão de ser repensados para assegurar a segurança de todos os envolvidos.

Leia Também:  Assembleia aprova projeto que autoriza a construção de 15 centrais hidrelétricas

“Todos, os mecânicos, os líderes de equipe, os comissários estão acostumados a seguir protocolos de segurança muito rigorosos. E isso funcionou fantasticamente durante as últimas três décadas. O automobilismo, sem redução de desempenho, tornou-se extremamente seguro”, analisou.

A temporada da Fórmula 1, cujo início foi adiado em razão da pandemia do novo coronavírus, está programada para começar em julho, com o GP da Áustria como corrida inaugural. A pandemia afetou até o momento dez etapas do Mundial, entre cancelamentos e adiamentos. Uma das provas canceladas foi o GP da Austrália, que abriria a temporada.

A previsão, com o calendário reformado, é de realizar entre 15 e 18 corridas neste ano. O encerramento pode ser em dezembro, com as provas no Bahrein e nos Emirados Árabes Unidos.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA

Aviso importante: A reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash, etc) do portal não é permitida e, caso se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismos de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria para reproduzir nosso conteúdo, entre em contato por e-mail. Copyright © 2020