fbpx
conecte-se conosco


REFORÇO

Aprovado repasse de R$ 37,7 milhões da Assembleia para o combate ao coronavírus

Publicados

em

Foto: Divulgação ALEP

Com a pandemia da COVID-19, desde a última semana os deputados paranaenses têm realizado sessões plenárias virtuais. Nesta segunda-feira (30), em duas sessões remotas, foi aprovado em primeira e segunda discussões o projeto de lei complementar 3/2020 que autoriza o repasse de R$ 37,7 milhões do Fundo de Modernização da Assembleia Legislativa do Paraná para ações de combate ao avanço do coronavírus.

A Comissão Executiva da Assembleia, com adesão unânime dos demais deputados, definiu repassar o recurso total constante no fundo para ajudar o Estado nesse período de crise causado pelo aumento dos casos da doença. Os recursos serão repassados diretamente ao Fundo de Estado da Saúde.

De acordo com o presidente da Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB), “novamente a Assembleia, tomou a iniciativa de devolver os recursos para poder contribuir com o Governo na crise, que preocupa a todos, que também será econômica e que vai assolar o estado na arrecadação de impostos”.

O relator designado na Comissão de Finanças, deputado Tiago Amaral (PSB) enfatizou que, “consta no projeto os recursos que anteriormente seriam utilizados, em obras de modernização da Assembleia Legislativa do Paraná, e que foram destinados ao auxílio ao combate da epidemia de coronavírus no estado”.

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), primeiro secretário da Assembleia destacou que, “a aprovação do projeto demonstra que a Assembleia Legislativa cumpre a função institucional de representação imediata da população”.

Leia Também:  Deputada Luísa Canziani fala sobre regulamentação do “HomeSchooling”

A proposta segue agora para a sanção do governador Carlos Massa Ratinho Júnior.

 

DEFENSORIA

Na sessão plenária desta segunda-feira foi lido no expediente o projeto de lei da Defensoria Pública do Estado do Paraná que prevê o repasse de R$ 8 milhões provenientes do FUNDEP (Fundo de Aparelhamento da Defensoria Pública), para auxiliar nas ações que envolvem a pandemia.

A proposta foi entregue na Assembleia Legislativa pelo defensor público-geral do Paraná, Eduardo Abraão, diretamente ao presidente Traiano. “A união entre as Instituições e Poderes do Estado é fundamental nas ações de combate ao coronavírus, considerando que essa união encurta as distâncias e facilita a tomada de decisões tão importantes em momentos delicados como este, da pandemia do COVID-19″, ressaltou Abraão.

Segundo o defensor público-geral a medida não afetará a execução orçamentária de 2020 da Defensoria Pública, visto que o valor é proveniente de superávit de arrecadação de anos anteriores.

COMENTE ABAIXO:

Política

Produção industrial do Paraná cresce 9% no primeiro trimestre

Publicados

em

Foto. Divulgação.

Dos 15 setores analisados pelo IBGE no Paraná, 13 tiveram aumento na produção nos primeiros três meses de 2021

 

A produção industrial paranaense teve crescimento de 9% no primeiro trimestre deste ano, na comparação com os primeiros três meses de 2020. O crescimento paranaense foi o dobro da média nacional, cuja produção aumentou 4,4% nos três primeiros meses do ano.

Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal (PIM Regional), divulgados nesta terça-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e mostram que o Paraná ocupa a quarta posição entre os estados com o melhor resultado do trimestre, empatado com São Paulo.

O primeiro lugar é ocupado por Santa Catarina (17,8%), seguido do Rio Grande do Sul (12,3%) e Minas Gerais (9,1%). Somente 10 dos 15 locais pesquisados pelo IBGE tiveram crescimento na produção industrial no período.

A pesquisa do IBGE mostra também um aumento de 12,3% na produção em março, com relação ao mesmo mês do ano passado. A pesquisa revela, ainda, que a indústria do Estado caiu 1% em março com relação a fevereiro deste ano, além da redução de 1% no acumulado dos últimos 12 meses, com base nos 12 meses anteriores.

A queda em março foi uma tendência nacional, com redução de 2,4% da produção industrial do País e também um recuo em nove dos 15 locais analisados pelo IBGE. Entre esses estados, Paraná e Santa Catarina foram os que tiveram a menor redução.

Leia Também:  Sessão da Câmara de Vereadores de Wenceslau Braz apresenta nova composição

“Mesmo com o impacto da pandemia em diversos setores da economia, a indústria do Paraná continua forte”, afirma o governador Carlos Massa Ratinho Junior. “O crescimento industrial impacta nos outros setores, contribuindo com a retomada econômica do Estado e de grande parte das cidades paranaenses, já que o Paraná conta com uma indústria diversificada e espalhada por todas as regiões”.

 

SETORES

Dos 15 setores analisados pelo IBGE no Paraná, 13 tiveram aumento na produção industrial nos primeiros três meses de 2021. A fabricação de produtos de madeira puxou o crescimento, com aumento de 32,7% no trimestre e de 58,9% com relação a março do ano passado, além de um aumento de 11,9% no acumulado de doze meses. É seguido pela fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos, que teve alta de 31,7% entre janeiro e março, de 58,9% se comparado a março de 2020 e de 11,9% nos últimos 12 meses.

A indústria de máquinas e equipamentos também teve crescimento substancial no primeiro trimestre do ano, com ampliação de 28,6% na produção. Completam a análise os setores de fabricação de produtos de materiais não metálicos (25,8%); de máquinas, aparelhos e materiais elétricos (19,7%); de móveis (19%); de produtos de borracha e material plástico (17,8%); de outros produtos químicos (16%); de coque, de produtos derivados do petróleo e de biocombustíveis (4,8%); de veículos automotores, reboques e carrocerias (4,4%); e fabricação de bebidas (1,4%).

Leia Também:  Produção industrial do Paraná cresce 9% no primeiro trimestre

Os únicos a fechar o trimestre com números negativos foram as indústrias de fabricação de celulose, papel e produtos de papel (-6,2%) e de fabricação de produtos alimentícios (-4%). Este último setor, no entanto, ainda conta com resultados positivos com relação a março de 2020 (0,6%) e no acumulado de doze meses (6,3%).

 

MARÇO

Já no mês de março, houve aumento na produção 14 setores, na comparação com o mesmo mês de 2020. Os melhores resultados foram nas indústrias de produtos de madeira (58,9%); de produtos de materiais não metálicos (35,5%); de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos (31,5%); de outros produtos químicos (28,5%); de produtos de borracha e material plástico (24,7%).

Na sequência vêm a fabricação de máquinas e equipamentos (18,5%); de máquinas, aparelhos e materiais elétricos (12,8%); de coque, de produtos derivados do petróleo e de biocombustíveis (10,6%); de veículos automotores, reboques e carrocerias (7,6%); de bebidas (5,2%); e de produtos alimentícios (0,6%). Somente a fabricação de celulose, papel e produtos de papel fechou em baixa no mês, com queda de 6,2%.

 

VIA: AEN.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA

Aviso importante: A reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash, etc) do portal não é permitida e, caso se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismos de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria para reproduzir nosso conteúdo, entre em contato por e-mail. Copyright © 2021