conecte-se conosco

unopar

Política

Governo libera R$ 50 milhões para Saúde e municípios da região são contemplados

Publicados

em

O governador Carlos Massa Ratinho Junior anunciou nesta segunda-feira (21), no Palácio Iguaçu, investimentos de R$ 50 milhões para a saúde nos 399 municípios paranaenses. Serão contempladas a atenção e vigilância, aquisição de equipamentos, novas obras e a Operação Verão 2019-2020.

O governador disse que o anúncio é o primeiro do pacote de investimentos na saúde. Fazem parte dele recursos para hospitais filantrópicos, novos centros de especialidades, a regionalização da saúde com a construção de unidades em regiões vitais do Estado, os leitos de UTI do Complexo do Trabalhador, em Curitiba, mais veículos, e obras e reformas em unidades de saúde de mais de 160 municípios. Ele também citou o compromisso da bancada federal de incluir uma emenda impositiva no orçamento da União para reforçar os investimentos nos consórcios municipais.

“A ideia é aumentar o repasse para os municípios com orçamento mais organizado, dentro daquilo que queremos implementar. Vamos descentralizar a saúde, fortalecer o Interior para evitar que as pessoas se desloquem por mais de 300 quilômetros de ambulância ou van para se tratar”, afirmou. “Ainda gastamos muito com combustível na saúde, com a logística. Queremos fazer o caminho inverso. Investir esse dinheiro em equipamentos e na melhoria dos hospitais, de forma regionalizada”.

O secretário estadual da Saúde, Beto Preto, disse que os recursos para a Operação Verão serão distribuídos para os sete municípios do Litoral de maneira antecipada, a fim de melhorar a programação dos prefeitos. “No ano passado foram destinados R$ 4,7 milhões em dezembro, nesse ano serão R$ 5,1 milhões em outubro para dar tempo das prefeituras licitar os serviços e equipamentos e entrar em dezembro com tudo funcionando”, disse.

Leia Também:  Maia aguarda proposta do governo para debater prorrogação de auxílio

Beto Preto acrescentou que os repasses para vigilância e atenção na saúde aumentaram de R$ 18 milhões (2018) para R$ 23 milhões e que as novas obras vão suprir carências antigas dos municípios paranaenses. “Continuamos com um trabalho de economia, mas com intuito de melhorar a saúde de todo o Estado do Paraná, para as nossas 22 regiões de saúde”, afirmou.

Segundo Darlan Scalco, prefeito de Pérola e presidente da Associação de Municípios do Paraná (AMP), as prefeituras enfrentam dificuldades financeiras, atrasos nos repasses federais e precisam dos recursos do Tesouro Estadual para auxiliar as ações da saúde. “Não há como planejar nenhuma outra área sem saúde. Os recursos chegam numa hora muito vital para os cidadãos paranaenses”, disse.

 

EQUIPAMENTOS

Os investimentos em equipamentos atenderão as urgências e emergências das unidades de pronto-atendimento (UPA), prontos-socorros, e hospitais de pequeno porte, de referência e unidades avançadas do Samu. Os recursos totalizam R$ 11,8 milhões e serão direcionados a 73 municípios de todas as regiões do Estado. Eles serão utilizados para 119 novos leitos de estabilização, kits com desfibrilador e monitor multiparamétrico, ventiladores pulmonares, eletrocardiógrafos digitais, oxímetros portáteis, aspiradores portáteis e carros de emergência e ambulâncias para o Samu. Na região, os recursos vão reforçar as estruturas de atendimento de Jaguariaíva, Salto do Itararé, Santo Antônio da Platina, São José da Boa Vista.

Leia Também:  Coordenadoria Regional da Casa Civil promove vídeo conferência sobre retomada econômica

 

OBRAS

Serão repassados R$ 10,1 milhões para reformas, ampliação e novas unidades de saúde em 26 municípios. Na região, os recursos serão destinados a Santo Antônio da Platina, Tomazina e Wenceslau Braz.

 

VIGILÂNCIA

A atenção e vigilância em saúde atende todos os 399 municípios paranaenses e os programas estaduais voltados para as crianças, mulheres, homens e idosos. Serão destinados R$ 23 milhões para as campanhas de imunização, combate ao sarampo e dengue, cobertura contra doenças como febre amarela, leptospirose, zoonoses e intoxicação, além de vigilância epidemiológica contra doenças transmissíveis e não transmissíveis.

 

+ RECURSOS

De acordo com a assessoria de imprensa do deputado estadual Cobra Repórter (PSD), também foram contemplados com investimentos para área de saúde os municípios de Sengés, Congoinhas, Ribeirão do Pinhal, Ribeirão Claro, Carlópolis, Conselheiro Mairinck e Curiúva. “Esses investimentos reforçam a preocupação do Governo do Estado em garantir à população dos 399 municípios paranaenses serviços de saúde com qualidade. É o Governo trabalhando pelos nossos municípios com a proposta de regionalizar o atendimento e promover saúde de qualidade perto dos paranaenses”, destacou o deputado.

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Política

Maia aguarda proposta do governo para debater prorrogação de auxílio

Publicados

em

Najara Araújo/Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, disse hoje (4) esperar uma proposta oficial do governo sobre a prorrogação do auxílio emergencial de R$ 600 por mais 60 dias, para então dar início ao debate sobre o tema no Parlamento.

O projeto aprovado no Congresso e sancionado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, no início de abril, prevê o pagamento da renda mínima por três meses para trabalhadores informais, integrantes do Bolsa Família e pessoas de baixa renda.

“A gente sabe das dificuldades, entende a preocupação do governo e gostaria de ter uma posição oficial do governo. Que ele encaminhe a matéria ao Parlamento para que a gente possa fazer o debate transparente”, disse Maia.

O governo já sinalizou a possibilidade de estender mais duas parcelas do benefício, mas com valor reduzido. Durante coletiva, Maia disse que há um sentimento favorável por parte dos parlamentares para a prorrogação do auxílio, mas que precisa de uma proposta oficial do governo para iniciar os debates em torno dos recursos para a prorrogação do auxílio. Segundo Maia, é preciso debater o impacto fiscal da prorrogação junto com a equipe econômica.

Leia Também:  Tribunal de Justiça mantém condenação e multa Paulo Leonar por improbidade administrativa

“Se dependesse dos parlamentares teria ao menos mais duas ou três parcelas no mesmo valor de R$ 600. Mas tem o impacto, ninguém está negando o impacto, nem o governo a necessidade de prorrogação do benefício”, disse. “Sabemos que existe um custo e a construção da manutenção do valor por algum período precisa estar baseada também em construir as condições de forma coletiva com a equipe econômica e com o parlamento”, acrescentou.

 

Via: Agência Brasil.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA

Aviso importante: A reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash, etc) do portal não é permitida e, caso se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismos de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria para reproduzir nosso conteúdo, entre em contato por e-mail. Copyright © 2020