conecte-se conosco


DESENVOLVIMENTO

Governo quer atrair mais investimentos produtivos para os municípios

Publicados

em

Foto. Divulgação AEN.

O Governo do Paraná quer atrair mais investimentos produtivos para os municípios, a fim de incrementar a oferta de emprego e renda localmente, segundo afirmou o vice-governador Darci Piana nesta quinta-feira (22) no Fórum Invest. O evento foi online e apresentou a prefeitos e secretários municipais as ações da Invest Paraná, agência estadual responsável pela prospecção de novos negócios e atração de empresas.

O objetivo é atrair novos recursos privados por meio da parceria do Estado com os municípios. “Queremos descentralizar os investimentos e facilitar a instalação de empresas em todas as regiões do Paraná”, afirmou Piana.

Durante a reunião, os técnicos da Invest Paraná destacaram alterações no programa de incentivos fiscais para garantir maior competitividade a empresas paranaenses. Entre as modificações estão a prorrogação do prazo para que empresas que atuam exclusivamente no e-commerce possam pleitear o benefício de crédito presumido e o tratamento tributário diferenciado para as empresas que operam pelos portos e aeroportos paranaenses – crédito presumido nas operações de saídas dos produtos.

O diretor-presidente da Invest Paraná, Eduardo Bekin explicou que um calendário de reuniões mensais com os prefeitos será criado para facilitar e antecipar a troca de informações. “A pandemia nos trouxe a preocupação de antecipar as informações. É preciso entender as regiões, ser ágil e transparente com os empresários e viabilizar os investimentos”, disse.

 

Leia Também:  Ademar Traiano destaca volume de trabalho na Assembleia em 2020

BALANÇO

Segundo o balanço da Invest Paraná, desde 2019, já foram encaminhados 131 protocolos para análise de enquadramento de empreendimentos no programa de incentivo do Governo, com investimentos somados de R$ 16,3 bilhões e potencial de geração de 42 mil empregos. O Estado já atraiu cerca de R$ 20 bilhões em investimentos desde o ano passado, com a capacidade de criação de quase 63 mil postos de trabalho

 

PRESENÇAS

Participaram da reunião o secretário de Planejamento e Projetos Estruturantes, Valdemar Bernardo Jorge; o diretor de relações internacionais da Invest Paraná, Giancarlo Rocco; o presidente da Associação dos Municípios do Paraná (AMP), Darlan Scalco; além de prefeitos e secretários municipais.

 

VIA: AEN.

COMENTE ABAIXO:

Política

Deputados avaliam possíveis vacina da covid-19 para o Paraná

Publicados

em

Foto. Divulgação ALEP.

Integrantes da Frente Parlamentar do Coronavírus iniciam uma série de visitas às fábricas dos institutos e fundações parceiros na produção das vacinas contra a covid-19

 

Deputados da Frente Parlamentar do Coronavírus, da Assembleia Legislativa do Paraná, iniciam a série de visitas às fábricas dos institutos e fundações parceiros na produção das vacinas contra a covid-19. Nesta sexta-feira (20), a partir das 9 horas, os parlamentares estarão no Tecpar (Instituto de Tecnologia do Paraná) em Curitiba e às 11 horas o encontro será no Instituto de Biologia Molecular do Paraná, órgão vinculada à Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), responsável pelo processamento a maior parte de testes de covid-19 no Estado.

O Governo do Estado firmou parceria, através do Tecpar, com a Rússia para produção da vacina Sputink V. A Pfizer já confirmou que terminou a terceira fase, a última, da vacina que será produzida e o Governo de São Paulo recebeu nesta quinta-feira (18), o primeiro lote de 120 mil doses da Coronavac pelo laboratório chinês Sinocav.

“As notícias são boas. Temos várias vacinas que estão concluindo a terceira fase dos estudos, mas que no Brasil ainda precisam ser aprovadas pela Anvisa. Acredito que no primeiro trimestre já teremos doses à disposição das autoridades sanitárias brasileiras”, disse o deputado Michele Caputo (PSDB), coordenador da Frente.

Ainda estão previstas visitas a institutos e fundações em São Paulo e Rio de Janeiro. No dia 26 (quinta-feira), os deputados da Frente estarão no Instituto Butantã em São Paulo para conferir detalhes da Coronavac, vacina produzida em parceria do Governo de São Paulo com o laboratório chinês Sinovac. E também, em São Paulo, está agendada uma reunião com a diretoria da Pfizer que também entrou na corrida pela vacina e adiantou que pode dispor de “milhões” de dose ao Brasil.

 

Leia Também:  Ademar Traiano destaca volume de trabalho na Assembleia em 2020

Qual vacina?

Outra provável visita se dará na Fiocruz no Rio de Janeiro, onde será produzida a vacina da parceria entre o Governo Federal, o laboratório Astrazeneca e Universidade de Oxford, na Inglaterra. “No Paraná, temos R$ 200 milhões para compra da vacina. São R$ 100 milhões repassados ao Estado pela Assembleia Legislativa do Paraná e mais R$ 100 milhões previstos no orçamento de 2021”, disse Michele Caputo.

“Para nós não importa se a vacina venha ser russa, chinesa, americana ou europeia, o importante que se mostre segura, amplamente eficaz e registrada na Anvisa. Após essas visitas, faremos um relatório para subsidiar o Governo do Paraná sobre o estágio de produção, registro, preços e disponibilidades”, disse o deputado.

“Até lá, o importante é seguir os protocolos de segurança, usar máscara, procurar o isolamento social, evitar as aglomerações e manter os cuidados de higiene como lavar as mãos e usar o álcool em gel. Até porque todos os dados indicam que há recrudescimento da doença” completou Michele Caputo.

Leia Também:  Com 46,7% dos votos, Dionisio é o novo prefeito de Pinhalão

 

VIA: ALEP.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA

Aviso importante: A reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash, etc) do portal não é permitida e, caso se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismos de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria para reproduzir nosso conteúdo, entre em contato por e-mail. Copyright © 2020