conecte-se conosco


Política

Prefeito vai a Curitiba em busca de melhorias para área da Saúde

Publicados

em



(Foto: Divulgação)

A busca por recursos que proporcionem melhorias para população faz parte da rotina dos prefeitos da região durante as visitas a capital paranaense. Saúde, Educação, Segurança e Infraestrutura estão entre as principais necessidades dos municípios e da população.

Em Santana do Itararé, o prefeito Joás Michetti e sua equipe de gestão tem trabalhado constantemente no desenvolvimento de projetos e busca por verbas para melhorar os serviços públicos para população do município.

Na última terça-feira (18), Joás esteve acompanhado da secretária municipal de Saude, Luciane Carvalho, durante viagem a Curitiba. Durante o compromisso, o prefeito e Luciane estiveram reunidos com o secretário estadual de Saúde Beto Preto.

No encontro, o assunto em pauta foi a liberação de recursos a serem aplicados na reforma do Hospital Municipal e construção da Sala de Raio X e a aquisição de uma nova ambulância para atender aos pacientes do município. Segundo a prefeitura, os projetos de reforma e construção já estão na SESA e a ambulância deve ser entregue nas próximas semanas.

Joás falou sobre o trabalho em prol da saúde no município. “Como já disse outras vezes, tenho que agradecer a nossa equipe que desenvolve projetos bem elaborados de acordo com as necessidades do nosso município. Isso com certeza traz agilidade na liberação das verbas. Hoje estamos aqui em busca de mais recursos e melhorias para área da Saúde, o que envolve o hospital e uma nova ambulância. Continuaremos estas visitas em buscas de mais recursos e benefícios para o nosso município e nossa população”, destacou o prefeito.

Leia Também:  Governo libera R$ 50 milhões para Saúde e municípios da região são contemplados

Fonte: Marcos Júnior.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Política

Governo Estadual propõe voucher para população vulnerável comprar alimentos

Publicados

em

Foto: Ilustrativa - Reprodução/Internet

O governador Carlos Massa Ratinho Junior encaminhou nesta segunda-feira (6) para a Assembleia Legislativa um projeto de lei que propõe auxílio emergencial de R$ 50 durante três meses (prorrogáveis) para os paranaenses mais vulneráveis. A concessão destina-se exclusivamente para a compra de produtos alimentícios que compõem a cesta básica, e é uma medida que complementa o auxílio proposto pelo governo federal.

O benefício será operacionalizado por meio de um voucher ou outro modo que assegure crédito para futuras despesas nos mercados credenciados pela Secretaria da Agricultura e do Abastecimento. Essa medida está dentro do pacote social de enfrentamento da pandemia do novo coronavírus e dos reflexos causados pela situação de calamidade pública. Os recursos são do Fundo Estadual de Combate e Erradicação à Pobreza.

No texto do projeto de lei, o governador destaca que grande parte da população economicamente ativa do Estado atua no setor informal, que é constituído, por exemplo, por trabalhadores domésticos, babás, carrinheiros, vendedores ambulantes, autônomos de serviços gerais, ou por microempreendedores de baixa renda e sem acesso à aposentadoria ou licença médica.

Leia Também:  Inquérito investiga se PT comprou apoio de Renan e Requião com dinheiro da JBS

“O Estado do Paraná, detentor de um Fundo de Combate à Pobreza, alimentado com recursos de um ICMS adicional, não pode ficar inerte às necessidades de parcela de sua população que está ou poderá ficar vulnerabilizada com o avanço da pandemia”, ressalta o governo na justificativa de encaminhamento do projeto para análise do legislativo.

 

VOUCHER

Poderão receber o auxílio paranaenses que cumprem cumulativamente os seguintes requisitos: maiores de 18 anos; sem emprego formal; com renda familiar mensal per capita não superior a meio salário mínimo ou renda familiar mensal total que não exceda três salários mínimos; e que não são titulares de benefício previdenciário, seguro-desemprego ou programa de transferência de renda federal ou estadual, ressalvados os beneficiários do programa Bolsa-Família.

Também são considerados economicamente vulnerabilizados para efeito do projeto de lei o Microempreendedor Individual (MEI), o contribuinte individual do Regime Geral de Previdência Social e o trabalhador informal, de qualquer natureza, inscrito no CadÚnico.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA

Aviso importante: A reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash, etc) do portal não é permitida e, caso se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismos de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria para reproduzir nosso conteúdo, entre em contato por e-mail. Copyright © 2020