conecte-se conosco


Política

Prefeitura e Sicredi firmam parceria para melhorar ainda mais a Educação em Jundiaí do Sul

Publicados

em

A noite da última segunda-feira (27) marcou um momento especial para educação municipal de Jundiaí do Sul. Isso porque, durante evento realizado pela Secretaria Municipal de Educação, foi firmada uma parceria entre a prefeitura e a Cooperativa de Crédito Sicrédi onde o município passa a fazer parte do programa “União Faz a Vida”, que há 25 anos vem mudando a vida de crianças e jovens em vários municípios onde o Sicredi mantém a parceria.

O evento contou com a participação de cerca de 150 pessoas, entre elas o prefeito do município Eclair Rauen, a secretária de Educação Rose Andrade, o presidente regional do Sicredi Claudio Marcos Orsini e representantes da cooperativa, além de diversas autoridades, empresários e professores da rede municipal de ensino. Durante a reunião, os presentes ainda acompanharam uma palestra ministrada por Daniele Amaral que falou sobre um acidente que mudou sua vida e a forma de transformar as coisas por meio da tomada de decisões e escolhas certas.

Em entrevista à Folha Extra, o prefeito Eclair falou sobre a importância que o programa representa para a educação no município. “Essa parceria que estamos firmando com o Sicredi vem para agregar a formação dos nossos professores e promover aos nossos alunos uma educação diferenciada. Hoje Jundiaí do Sul é destaque na educação a nível Paraná, tanto que, segundo a avalição do Governo do Estado, nós estamos entre os 10% melhores e com essa ajuda do Sicredi vamos melhorar ainda mais”, destacou o prefeito.

Leia Também:  Operação do Gaeco mira suposto esquema entre médicos e empresários para furar fila do SUS

O presidente da regional Sicredi Paranapanema Paraná/São Paulo, Claudio Orsini, comemorou a parceria e destacou a educação como uma forma de proporcionar mudanças na vida dos estudantes. “Acreditamos que a educação tem o poder de transformar a realidade e que ela é a principal chave que pode nos levar a um futuro melhor, com cidadãos mais conscientes, mais solidários, mais colaborativos, mais empreendedores, com comportamentos mais “sustentáveis”. É exatamente essa proposta de trabalho que estamos oficializando hoje com o município de Jundiaí do Sul. Estamos muito contentes por esse movimentando tão importante em prol de nossa comunidade”, comemorou Orsini.

Já a secretária de Educação Rose Andrade, tratou a nova parceria como a realização de um sonho. “Trazer o programa União Faz a Vida para Jundiaí é um sonho antigo que temos há anos e, por isso, hoje é um dia memorável. Com a ajuda do Sicredi, vamos promover cidadania e cooperativismo aos nossos alunos para que eles possam ter uma visão diferente e mostrar que juntos somos mais fortes ainda. Queremos transmitir valores éticos para os jovens e as crianças  e, para isso, contamos com uma equipe diferenciada e extremamente qualificada para estruturar nossas turmas, promover uma educação de qualidade e fazer a diferença na vida das nossas crianças”, comentou.

Leia Também:  Disputa em Santo Antônio da Platina pode ser marcada pela experiência

Eclair ainda destacou o compromisso que sua gestão mantém em priorizar a educação. “Imagino que somente através de uma educação descente, com alimentação e condições adequadas aos nossos alunos, nós vamos conseguir mudar as pessoas, o mundo, a cultura e a forma de pensar. Quando assumi a prefeitura nós priorizamos a educação para que realmente pudéssemos fazer algo diferente e, felizmente, tivemos o apoio dos professores e de nossa equipe para buscar colocar Jundiaí entre os dez melhores municípios do Paraná na área de Educação”, finalizou.

 

PROGRAMA A UNIÃO FAZ A VIDA

O Sicredi acredita que transformar a realidade através da educação depende da ação de cada membro da sociedade e, por isso, investe nas futuras gerações. O programa promove a construção e a vivência da cooperação e cidadania, por meio de projetos desenvolvidos com uma metodologia própria. A união entre secretarias de educação, escolas particulares e instituições sociais com o Sicredi (formação da rede de compromisso) vem fazendo a diferença na vida dos alunos integrantes do programa, seus educadores, escolas, famílias e comunidades.

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Política

Publicados

em

Foto: Ilustrativa - Reprodução/Internet

Em nota pública divulgada na manhã desta segunda-feira (30), o Ministério Público do Paraná reiterou a necessidade de que sejam mantidas todas as medidas necessárias para a preservação da saúde e da vida em face da pandemia de Covid-19. Entre as medidas, destacam-se a contenção e o isolamento social, amplamente recomendadas pela Organização Mundial de Saúde e pela comunidade científica brasileira e internacional como as principais ações capazes de diminuir o impacto da doença, reduzindo o potencial de propagação e de mortes.

Na nota, o MP destaca ainda a necessidade, neste momento, da uniformidade de condutas necessárias para enfrentar perigo de tal magnitude, e que acompanha, em todo o Paraná, a edição de atos administrativos, principalmente os de caráter normativo, para que estejam devidamente fundamentados, com base em prévia manifestação da autoridade pública sanitária competente (municipal e/ou estadual), expressando as evidências epidemiológicas que os justifiquem.

Confira abaixo a íntegra da nota, assinada pelo procurador-geral de Justiça, Ivonei Sfoggia, pelo corregedor-geral do MPPR, Moacir Gonçalves Nogueira Neto, e pelo procurador de Justiça Marco Antonio Teixeira, coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Proteção à Saúde Pública:

 

Nota Pública

O Ministério Público do Estado do Paraná, atento aos seus deveres de defesa dos direitos sociais e individuais indisponíveis, entre os quais prevalecem a vida e a saúde,  torna público, em face do novo coronavírus (Covid-19), a imprescindibilidade da contínua adoção de todas as medidas necessárias a preservar tão relevantes valores humanos, principalmente por meio da contenção  social, isolamento e mesmo a quarentena, quando assim declarada nos termos da lei federal que a prevê.

Leia Também:  Sem condenação, Bona é preso por não cumprir medidas cautelares

A disseminação do vírus ameaça gravemente o indivíduo e a própria sociedade, numa forma jamais experimentada antes.

Isso torna imprescindível medidas incomuns em nosso meio. Exige a necessária coesão social e das instituições na uniformidade de condutas necessárias para enfrentar perigo de tal magnitude.

Nossa primeira defesa é exatamente a união de propósitos e sacrifícios voltados às providências restritivas de convívio público, o que é amplamente recomendado pela Organização Mundial de Saúde e pela maioria da comunidade científica da área da saúde no Brasil e no plano internacional, como a principal medida capaz de diminuir o impacto da doença, reduzindo o potencial de propagação e de mortes. Acima de posicionamentos pessoais, devem prevalecer as evidências científicas que fundamentam as políticas públicas.

Nesse cenário, o isolamento social – ressalvadas as atividades essenciais que, pela sua natureza, não comportam interrupção – , é iniciativa que a experiência internacional demonstra ser mais efetiva, no momento, para reduzir a taxa de transmissão do vírus. Ela é indispensável em defesa dos mais elevados valores que condizem com a própria existência humana.

Leia Também:  Beto Richa renuncia ao governo no dia 6 para disputar o Senado

Evitar a rápida disseminação da doença no Paraná exige optar pelo princípio da proteção máxima das pessoas, sem prejuízo da adoção, pelas autoridades públicas competentes, das cautelas de caráter econômico indispensáveis à preservação de empregos e renda, além dos recursos essenciais à garantia dos direitos individuais e à subsistência das parcelas mais vulneráveis da população.

Nesse contexto, em que deve prevalecer o respeito à vida e à saúde, o MPPR  acompanha a edição de atos administrativos, principalmente os de caráter normativo, fiscalizando estejam devidamente fundamentados, com base em prévia manifestação da autoridade pública sanitária competente (municipal e/ou estadual), expressando as evidências epidemiológicas que os justifiquem.

A Instituição, no seu papel constitucional de resguardar a ordem jurídica e os valores superiores da sociedade, permanece em contínuo diálogo com as instituições públicas e privadas, no sentido de, em conjunto, identificar estratégias positivas em benefício dos paranaenses no enfrentamento do novo coronavírus.

O Ministério Público do Paraná tem clara a gravidade do momento e reafirma sua unidade institucional na defesa da vida e da saúde da população.

 

Curitiba, 30 de março de 2020

 

Ivonei Sfoggia

Procurador-Geral de Justiça

 

Moacir Gonçalves Nogueira Neto

Corregedor-Geral do MPPR

 

Marco Antônio Teixeira

Coordenador do Caop de Proteção à Saúde Pública

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA

Aviso importante: A reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash, etc) do portal não é permitida e, caso se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismos de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria para reproduzir nosso conteúdo, entre em contato por e-mail. Copyright © 2020