-0.4 C
Wenceslau Braz

Projeto que propõem mudar horário das sessões na Câmara de Arapoti é aprovado em 1º turno

Segundo autores da proposta, mudança pode gerar uma economia de até R$ 120 aos cofres da casa de Leis e tornar mais fácil a participação de servidores nas sessões

Um projeto aprovado em primeira votação tem dividido opiniões no município de Arapoti. Isso porque a proposta tem como objetivo alterar o horário em que são realizadas as sessões da Câmara de Vereadores do município.

- Advertisement -

Atualmente as sessões são realizadas as segundas-feiras no horário das 18h00, mas com a alteração, caso o projeto seja aprovado em definitivo, às reuniões continuam na segunda-feira, porém passam a ser realizadas às 15h00.

- Advertisement -

O projeto é de autoria dos vereadores Buika (PSL), Edilson Corsini (DEM) e Jorginho (PSDB) que como justificativa para proposta expõem que o novo horário tem como finalidade facilitar a participação dos servidores e secretários municipais nas sessões, além de gerar economia aos cofres da cada de Leis.

Segundo o vereador Buika, a mudança pode gerar economia para a câmara superior aos R$ 100 mil. “Com a alteração também vamos cortar gastos, segundo cálculos serão mais de 120 mil de economia neste mandato”, ressaltou o parlamentar. “Além disso, facilitará a participação de alunos das escolas municipais quando possível, os quais poderão ser trazidos por seus professores para conhecimento do trabalho do legislativo”, complementou.

Já o vereador Corsini ressaltou que a mudança pode ser experimental e também tem como objetivo aumentar a inclusão escolar nas atividades do Legislativo. “Após um período de novo horário, caso a alteração não agrade, podemos voltar atrás e realizar as Sessões novamente às 18 horas. Também é um horário que pode facilitar a inclusão das atividades da Câmara no ambiente escolar”, explicou.

Durante a sessão desta segunda-feira (19), o projeto foi aprovado em primeiro turno pelo placar de seis votos favoráveis e dois contrários, seguindo assim para segunda votação que deve ocorrer na próxima segunda-feira (26).

O vereador Dikinho (Podemos) optou por se abster da votação justificando a decisão devido a interesse pessoal da matéria e se demonstrou prejudicado com o novo horário caso aprovado. “Como sou funcionário público, acredito que a intenção desse projeto seja dificultar a minha participação”, disse o parlamentar.

Dikinho também alegou que o novo horário pode prejudicar a participação popular nas reuniões do Poder Legislativo municipal. “Além disso, ficará prejudicada a participação da população que trabalha no período da tarde, mesmo que de forma remota”, pontuou o vereador que também questionou a economia financeira citada pelos autores da proposta. “A economia apontada pelo vereador Buika não consta na justificativa do projeto, portanto não podemos visualizar como será feito este corte de gastos, já que o consumo de energia elétrica é o mesmo no período da tarde”, completou.

Nas redes sociais a divulgação da proposta dividiu opiniões entre os internautas onde, por um lado, há quem seja contra a mudança também apontando que o novo horário dificulta a participação popular nas decisões e discussões do Legislativo, já por outro, alguns defenderam a mudança sob o ponto de vista da economia onde o dinheiro pode ser direcionado a outras áreas, como no caso da Saúde.

- Advertisement -

Deixe uma resposta

MAIS NOTÍCIAS