-0.4 C
Wenceslau Braz

Vereador teme fechamento da Delegacia da Policia Civil de Arapoti

Lelo Ulrich demonstrou preocupação com o déficit de agentes na Delegacia e teme o fechamento do local por falta de funcionários

Na noite desta segunda-feira (14), na sede do Poder Legislativo de Arapoti, o vereador Wesley Carneiro Ulrich, o Lelo (PSD), usou da palavra para desabafar sua preocupação em relação ao número de funcionários da Delegacia da Policia Civil de Arapoti temendo o fechamento da unidade policial por estar faltando investigadores e demais agentes.

“Nos emancipamos dela há muitos anos, não podemos regredir e para ter que fazer um simples boletim de ocorrência ter que se deslocar até a cidade vizinha. Então peço a todos a união para que possamos mudar este cenário e Arapoti continuar com nossa delegacia e com mais investigadores”, vereador Lelo

- Advertisement -

Segundo Lelo, em Jaguariaíva está sobrando e em Arapoti faltando. “Estivemos fazendo um levantamento e Jaguariaíva tem três investigadores e pelo tamanho da cidade está sobrando, enquanto aqui em nossa cidade está faltando funcionários e principalmente investigadores para elucidar os crimes. Peço que todos os vereadores se unam com seus deputados e vamos trabalhar para trazer o investigador que está sobrando na cidade vizinha para nossa delegacia”, falou Ulrich.

- Advertisement -

Ainda cita que se acontecer o fechamento da Delegacia, tudo terá que ser feito em Jaguariaíva. “Nos emancipamos dela há muitos anos, não podemos regredir a ponto de para fazer um simples boletim de ocorrência termos que nos deslocar até a cidade vizinha. Então peço a todos a união para que possamos mudar este cenário e Arapoti continuar com nossa delegacia e com mais investigadores”, Finalizou Lelo.

Habitação

Outro assunto discutido na Casa de Leis, na ocasião, foi a construção de 400 casas em Arapoti que, segundo programa habitacional, terá prestação de financiamento da Caixa Econômica Federal girando de R$ 350 a R$ 400 as famílias contempladas.

O Vereador Lorival Aparecido Modesto de Oliveira, o Buika (PSL), falou que está triste por que muitas famílias não tem condições de pagar por estar desempregados. “Não vou falar daquelas casas, que me traz muita tristeza, hoje temos muitas famílias desempregadas que não tem R$ 350 a R$ 400 para pagar mensalidade. Se a renda da família for mil reais, como eles vão pagar a mensalidade e também pagar água, luz, mercado e outras necessidades. Com essas parcelas irão ficar muitas famílias apenas sonhando com a casa própria e, na verdade, as pessoas que mais precisam não serão beneficiadas”, citou Buika.

O ainda vereador falou sobre, o que para ele, é um grande problema dos programas habitacionais onde as famílias são contempladas e muitas vendem ou trocam o imóvel. “Muita gente comenta e temos que nos unir aqui para se fazer um projeto de lei onde as famílias que recebam a casa não possam vender ou trocar a casa por um carro velho, que se continuar assim, a prefeitura faz a casa, entrega, pessoa vende e nós nunca iremos vencer o déficit habitacional. Falo mais além de criarmos essa Lei, a Secretaria de Ação Social tem que fiscalizar periodicamente se realmente as famílias contempladas estão morando na casa, caso contrário, que a casa seja repassada para o próximo da lista de famílias que precisam de uma residência para morar”, concluiu Buika.

O vereador Maicon Jean Pot (SD) também se manifestou preocupado com as famílias mais carentes. “É triste vereador Buika, a maioria das pessoas que mais precisam não vão ter condições de pegar uma casa deste programa financiado pela Caixa. O programa diz que é para que tem renda de um a três salários mínimos, mas como uma pessoa com um salário vai pagar a mensalidade e sustentar a sua família, essa é a pergunta que fica. Parabenizo o prefeito pelas 400 casas, mas tem que se fazer um levantamento e irmos em buscas de casas para as famílias mais carente de nossa cidade”, Pontuou Maicon.

- Advertisement -

Deixe uma resposta

MAIS NOTÍCIAS